You are here

Vítima de agressão por homofobia reconhece agressores em página de skinheads

Vítima de agressão por homofobia reconhece agressores em página de skinheads

Estudante promete que vai à delegacia para denunciar o caso, que já está sendo investigado pela SSPDS

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

19 de Janeiro de 2018 às 14:36

Há 4 horas

Caso de agressão sofrida por jovem universitário ocorreu no Bairro Gentilândia, em Fortaleza (FOTO: Tribuna do Ceará)

Após sofrer agressão na noite desta quinta-feira (18), um estudante que pede para não ser identificado afirmou em entrevista ao Tribuna do Ceará que reconheceu os agressores em fotos recebidas nas redes sociais, e os identificou com camisas do grupo “Carecas do Brasil“.

O jovem universitário denunciou que levou socos e pontapés de seis homens carecas enquanto caminhava pelo bairro da Gentilândia, em Fortaleza. O crime teria sido motivado por questões homofóbicas e racistas. A Secretaria de Segurança do Estado (SSPDS-CE) emitiu nota informando que está apurando o caso.

“Eram todos carecas e eles estavam usando a mesma camisa. Algumas pessoas me enviaram fotos e eu identifiquei o que me bateu primeiro e uns outros que estavam no grupo. Na camisa tinha escrito: ‘Carecas do Brasil – Nordeste’”, relatou a vítima, que vai procurar a delegacia para registrar um Boletim de Ocorrência.

O jovem conta que, logo após o ocorrido, encontrou uma viatura da Polícia Militar nas proximidades da Reitoria da Universidade Federal do Ceará (UFC) e pediu ajuda.

“Achei uma viatura ao lado da reitoria, relatei o caso, mas eles ficaram me olhando com uma cara de quem não podiam fazer nada e só deram uma volta, disseram que não acharam, me indicaram ir na delegacia, mas também não fizeram mais nada. Nem meu nome eles perguntaram. Nem anotaram nada. Só me disseram que não podia me levar na delegacia e me indicou ir lá, mas eu fiquei com medo de passar mais tempo lá e vim pra casa”, relembrou o jovem.

Em nota, a SSPDS-CE afirma que a Polícia Militar do Estado do Ceará foi acionada por um jovem que denunciou ter sofrido agressões nas proximidades da Gentilândia, na Área Integrada de Segurança 5. Na nota, confirma a história contada por Jefferson, de que os militares realizaram patrulhamento pela área, mas ninguém com as características descritas foi encontrado. A SSPDS ainda orienta que a vítima procure a delegacia da área para registrar a ocorrência e avisa que as denúncias realizadas nas redes estão sendo analisadas.

Quem são os “Carecas do Brasil?”

O nome do grupo veio à tona após suposta ligação ao episódio de agressão a um jovem universitário, em Fortaleza, relatado nas redes sociais na noite desta quinta-feira (18). A organização que, de acordo com página no Facebook, é nacional, tem sua ramificação no Ceará.

No blog, o “Carecas do Brasil Ceará”, o movimento se define como “Nem esquerda, nem direita. Somos nacionalistas!”. Além disso, tem como marca o uso da cabeça raspada.

Na página do grupo, é possível saber sobre ideologias e práticas do movimento cujo foco, segundo eles, é o Nacionalismo. “Nossa convicção política é o nacionalismo e o culto aos símbolos e heróis nacionais”, há em um dos parágrafos, ressaltando também que não é ligado a partidos políticos, nem sindicatos, dizendo-se independente.

Radicalismo

1/4

Radicalismo

Grupo de Skinheads tem organização em Fortaleza. (FOTO: Reprodução Blog Carecas do Brasil Ceará)

Radicalismo

2/4

Radicalismo

Grupo de Skinheads tem organização em Fortaleza. (FOTO: Reprodução Blog Carecas do Brasil Ceará)

Radicalismo

3/4

Radicalismo

Grupo de Skinheads tem organização em Fortaleza. (FOTO: Reprodução Blog Carecas do Brasil Ceará)

Radicalismo

4/4

Radicalismo

Grupo de Skinheads tem organização em Fortaleza. (FOTO: Reprodução Blog Carecas do Brasil Ceará)

Ideologias

Na aba “Sobre o nosso movimento”, cinco tópicos norteiam as discussões e bandeiras ideológicas dos Carecas: Racismo; Comunismo; Sionismo; Homossexualidade e Drogas.

Em “Não toleramos o racismo”, chama o ato de agressão contra a nação e destaca a pluralidade da cultura, das etnias e religiões do povo brasileiro. Defendem também o que chamam de “valores da família tradicional”, além do culto ao corpo sadio e declaram contrariedade a qualquer ideia de viés separatista.

Para eles, o Comunismo é oportunista, é “a destruição de toda a identidade de uma nação em prol de um coletivismo mentiroso”.

O grupo também fala do Sionismo, também conhecido como “Nacionalismo judaico”, que é um movimento político que defende a existência de um Estado nacional e que o povo judeu tenha o direito de se governar. No texto, eles repudiam o movimento que chama de “política nefasta em prol da destruição nacional”.

Eles afirmam que no Brasil acontece o mesmo: “nosso país é refém dos juros e dos políticos judeus-sionistas que dominam a política, a mídia, os bancos e etc.” E declaram que o grupo é “inimigo declarado desses larápios internacionais”.

Sobre os homossexuais, eles dizem que “a questão não é contra a pessoa, mas sim contra o comportamento e contra a tentativa de imposição desse comportamento para a sociedade.” Ainda afirmam que não são obrigados a ver pessoas do mesmo sexo trocando carícias em locais públicos e criticam o poder público por não punir esses atos, dizendo que tentam privilegiar “uma parcela minoritária da sociedade”. O grupo se defende negando a homofobia dizendo que é apenas uma opinião contrária ao “comportamento desviante”.

Sobre o uso de drogas, o grupo repudia veementemente. O “movimento careca” destaca que essa é uma posição ainda mais radical no Ceará. De forma alguma o uso é tolerado no grupo e também cobra o governo por políticas que protejam a juventude “desse mal”, além de garantir tratametno aos que estão “nesse submundo”.

Apesar de o blog ter sido criado em 2017, há registros de que o grupo se organiza há mais tempo no Ceará. Fotos datadas de 1990 estão no site.

Source

Related posts