You are here

Um feto pode romper o útero de sua mãe com um chute?

Com informações de LiveScience

Na China, uma mulher grávida passou por verdadeiros momentos de horror, depois de seu filho em gestação supostamente ter “chutado” através do seu útero, de acordo com relatórios.

A mulher, que é chamada pelo pseudônimo de ‘Zhang’, estava com 35 semanas de gestação quando deu baixa no hospital sentindo fortes dores do estômago. A informação é do New York Post e do LiveScience.

Ela foi atendida por médicos de um hospital em Shenzhen, na China, e passou por exames de ultrassom. Ao analisar a situação da paciente, os especialistas perceberam que havia uma ruptura em seu útero. Mais especificamente, encontraram um corte no útero, que faz com que a criança se projetasse para a abdômen. De acordo com o New York Post, as pernas da criança já estavam para dentro da cavidade abdominal, enquanto suas pernas acabaram ficando presas na parede do útero.

De acordo com o LiveScience, rupturas como essa não são muito comuns, e ocorrem em apenas 0,07% das mulheres que engravidam, segundo o Medscape. O problema é mais comum em pacientes que já passaram por procedimentos de cesárea, e normalmente a ruptura se dá no mesmo lugar do antigo corte. Mas no caso de Zhang, ela havia sido submetida a uma cirurgia para remoção de fibroides, antes mesmo de engravidar. Esse procedimento, por sua vez, pode também deixar cicatrizes que aumentam a possibilidade de ruptura durante a gravidez.

O médico Michael Cackovic, diretor obstetra no centro clínico da Universidade Wexner, nos Estados Unidos, diz que o mais provável é que o útero tenha sofrido a ruptura por conta própria, e não por ação do bebê (que acabou sendo projetado para fora como consequência, e não causa). Existe, no entanto, uma pequena chance de que o bebê tenha tido participação no problema da mulher. “É certamente possível que um chute possa ser o último ímpeto para romper essa camada do útero”, disse Cackovic ao LiveScience.

Se uma mulher tem um “ponto fraco” em seu útero – como uma cicatriz de um procedimento antigo – essa área do útero pode se expandir durante a gravidez, explicou Cackovic. Em algumas mulheres que já passaram por repetidas cesáreas, o útero acaba ficando tão fino que pode se romper com alguma facilidade.

Essas rupturas podem colocar em risco a vida das mulheres, resultando potencialmente em perdas drásticas de sangue, falhas em órgãos e consequentemente o sufocamento do feto. Geralmente, nesses casos, os médicos têm de 10 a 40 minutos para retirar a criança do ventre da mãe antes que ele sofra danos sérios.

Os médicos de Zhang agiram rapidamente, retirando o bebê em uma operação que durou menos de 10 minutos. Durante a cirurgia, foi descoberto um corte de 7 cm no útero.

Felizmente, mãe e filho foram salvos, e já estão bem.

Source

Related posts

Leave a Comment