You are here

Subúrbio concentra maior índice de infestação pelo mosquito da dengue  – CORREIO

Os bairros que compõem o distrito sanitário do Subúrbio Ferroviário apresentam o maior número de casas com focos do mosquito da dengue. Em cinco de cada cem residências da grande área foi detectada a presença do Aedes Aegypti. É lá que está também o bairro de Salvador com o maior Índice de Infestação Predial (IIP), Fazenda Coutos, que apresenta taxa de 10,1%.

Os dados são do último Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa) realizado pela Secretaria Municipal de Saúde entre os dias 09 e 13 de abril. A situação do Subúrbio é considerada de risco, já que o seu IIP é superior a 3,9%. Este é o único distrito sanitário dos doze da capital neste nível. Dez dos restantes estão em nível de alerta e apenas um satisfatório (Brotas).  

Das onze localidades do distrito, seis estão em estado de risco e cinco em estado de alerta. Além de Fazenda Coutos, os campeões em infestação no Subúrbio são em ordem: Barragem dos Macacos, São Tomé e Tubarão (8,1%); Escada, Praia Grande II e Rio Sena (7,1%); Mirantes de Periperi/ Nova Constituinte (6,0%); Lobato, Plataforma II e São João do Cabrito (5,1%); e Base Naval, Paripe II (4,1%). 

Foto: Arte CORREIO

Nos LiRAa anteriores, o Subúrbio também aparecia na liderança, porém apenas em estado de alerta. No mês de janeiro, o Índice era de 3,4% e, em outubro do ano passado, era de 3,6%. Segundo a subgerente de arboviroses do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), Isolina Miguez, esta é a região que mais apresenta recipientes propícios ao depósitos de larvas do mosquito. 

Combate
“Há muitos lugares que trabalham com sucata, borracharias, além de áreas com acúmulo de lixo”, explica. Ela acrescenta que o CCZ fez um mapeamento destes pontos e vai concentrar ações nestes locais para diminuir o IIP. Uma grande mobilização deve acontecer entre os dias 4 e 8 de junho, porém desde já os agentes de endemias estão trabalhando para baixar o risco. 

“Até lá a gente está trabalhando com as escolas, com programas educacionais e  com as revisitas domiciliares. Logo depois do LIRAa, se o agente achou algum foco de Aedes na residência, ele volta lá para para ver se o morador seguiu as orientações. E continuam fazendo isso, até não achar mais foco. Isso vai ser feito em todas as áreas de risco”, apontou, acrescentando que as visitas às regiões em situação de perigo são quinzenais. 

Durante a mobilização de junho, em todas as áreas em que o IIP deu elevado a SMS vai fazer vistorias em escolas, instituições públicas e de saúde, divulgar nas rádios comunitários um pedido para que a população redobre o cuidado com a água parada, além de fazer ações educacionais em praças, convocando a população a se juntar à campanha. 

Ações de limpeza em regiões com acúmulo de lixo também foram solicitadas à Limpurb, que ficou de programar as intervenções. Para o enfrentamento das arboviroses (dengue, zika vírus e chikungunya), a prefeitura retomará nesse mês de maio os “faxinaços” por toda a cidade com o objetivo de eliminar focos e criadouros dos vetores. 

Atualmente, em Salvador há 18 localidades em situação de risco. Destas, três estão no distrito de Cabula/ Beiru, três na região da Barra/ Rio Vermelho, três em São Caetano/ Valéria, duas em Itapuã e uma na Liberdade. 

Source

Related posts