You are here

Roraima é o único estado do país com aumento no número de casos prováveis de dengue em 2017 | Roraima

De janeiro a maio de 2017, aumento no número de casos suspeitos foi de 551% em comparação com o mesmo período do último ano, segundo dados do Ministério da Saúde.

Mosquito Aedes aegypti transmite o vírus da dengue, zika e chikungunya (Foto: John Eisele/Colorado State University Photography/Arquivo)Mosquito Aedes aegypti transmite o vírus da dengue, zika e chikungunya (Foto: John Eisele/Colorado State University Photography/Arquivo)

Mosquito Aedes aegypti transmite o vírus da dengue, zika e chikungunya (Foto: John Eisele/Colorado State University Photography/Arquivo)

Na contramão do restante do Brasil, Roraima foi o único estado em que o número de casos prováveis de dengue aumentou neste ano, afirma o Ministério da Saúde.

De janeiro a maio de 2017 foram registrados 599 casos prováveis da doença. No mesmo período em 2016 foram 92 casos suspeitos, o que representa um aumento de 551%. Os dados estão compilados no 16º Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde.

O boletim apresentado em junho deste ano reúne dados sobre casos de dengue, zika e chikungunya no país. Roraima apresentou aumento no número de casos prováveis das três doenças. O MS considera ‘casos prováveis’ o número total de registros menos os casos descartados.

Nos casos de chikungunya, o estado tem o segundo maior número de incidência da doença. A cada 100 mil habitantes são registradas 146 suspeitas, ficando atrás apenas do estado do Ceará, onde são registradas 462,7 suspeitos para cada 100 mil habitantes.

Com relação a zika, Roraima ocupa a mesma posição no ranking de incidência. São 27,8 casos para cada 100 pessoas. O estado com o maior número de registros neste caso é o Tocantins, com 61,9 casos para cada 100 mil habitantes.

Segundo dados do Governo de Roraima, o município que registra o maior número de casos das doenças é Boa Vista. Até julho deste ano foram registradas na capital 1.863 casos de suspeita de dengue, 2.308 de chikungunya e 324 de zika.

Em todo o estado foram confirmados até junho deste ano, segundo a Secretaria Estadual de Saúde de Roraima (Sesau), 157 casos de dengue, 168 de zika e 571 de chikungunya.

Os números divergem de forma drástica dos do ministério, pois lá são considerados somente os casos prováveis, conforme explicou a Ana Paula Guth, gerente de febre amarela e dengue da Secretaria Estadual de Saúde de Roraima (Sesau-RR).

Chuvas e acúmulo de criadouros

Para a prefeitura de Boa Vista as principais causas do aumento de infestação do mosquito Aedes aegypti foram as chuvas antecipadas e o acúmulo de criadouros domésticos.

“É importante destacar que o combate ao Aedes aegypti é um dever também dos cidadãos”, afirmou em nota.

Também em nota, o governo de Roraima informou que monitora e presta suporte às atividades de combate ao Aedes aepypti. Aos municípios, segundo o governo, foram disponibilizados o reforço de bombeiros e os serviços de carros fumacê.

Source

Related posts

Leave a Comment