You are here

Rio recebe 1ª Feira Nacional de ‘Podrões’ neste sábado | Rio de Janeiro

O Rio recebe neste sábado (17) a primeira Feira Nacional de “Podrões”, que será realizada no Maracanã, Zona Norte da cidade. O evento vai oferecer ao público várias opções de alimentos hipercalóricos e com preços populares.

Segundo os organizadores, a feira é o primeiro evento a reunir comerciantes de “comida de rua não-gourmetizada”. A ideia é reunir sanduiches, salgados e quitutes que são servidos em quantidades generosas.

A 1ª Feira Nacional de “Podrões” acontecerá no Sinttel (Rua Morais e Silva, 94), no Maracanã, Zona Norte. No sábado (17), vai das 14h às 22h, e no domingo (18), das 12h às 20h. A entrada é gratuita e o visitante só paga o que consumir. Não há estacionamento no local. O G1 listou os estandes que o público irá encontrar na exposição.

Além dos “podrões”, também haverá espaço para entreter o público, como exposição de fotos, artesanato, bijuterias e até um estande de tarô. O espaço vai contar também com uma nutricionista, especializada em coach de emagrecimento, para dar dicas de alimentação para o público.

A ideia da feira surgiu do apetite das amigas Natália Alves e Suzanne Malta, da Digital Influência, de buscar uma alternativa aos caros food trucks. E o evento ganhou o “nacional” no título por não se ter notícia de nenhuma feira semelhante no país. Mas, garantem as organizadoras, a feira de podrão é em sua essência carioca.

“Achamos o tema proposto por seguidores interessante e que tinha tudo a ver com a gente. Pesquisamos e vimos que ninguém nunca fez uma feira de ‘podrões’. Aí, fomos a campo. Fomos comer em todo os lugares que conhecíamos e que nos foram indicados. Queríamos uma alternativa às feiras de food trucks. Queríamos uma coisa popular, povão mesmo. E tinha de ser diferente, gostoso e, principalmente, barato”, disse Natália, que não se furta a ir aos locais mais escondidos e distantes atrás de uma boa e calórica guloseima.

E essa é a tônica da 1ª Feira Nacional de Podrão: comida farta, boa e barata. Suzanne explica que, como se trata de uma primeira iniciativa, optaram por fazer um evento de um tamanho bem modesto. Foram selecionados dez comerciantes de rua, principalmente das zonas Norte, Oeste da capital e da Baixada Fluminense. E os preços vão variar de R$ 3 a R$ 30. Mas uma segunda edição já está em gestação.

“A feira já é um sucesso antes mesmo de começar. Nossa proposta é dar vez à verdadeira comida de rua, de raiz, feita com capricho, com toque caseiro e especial, mas sem frescura. Queremos abrir o leque e valorizar o trabalho dessas pessoas que têm uma barraquinha simples, mas que fazem uma comida de qualidade e que cabe no orçamento de todo mundo”, destacou Suzanne, que já teve mais de 20 mil visualizações da feira e seis mil confirmações de presença pelas redes sociais.

Source

Related posts