You are here

RED Hydrogen One quer revolucionar o mundo dos smartphones, mas tudo tem seu preo

O mercado de smartphones para muitos parece “estagnado”, sendo vistas apenas algumas mudanças pontuais nos aparelhos como melhorias nas especificações com o avanço da tecnologia, novos meios de autenticação biométrica e maior aproveitamento do painel frontal por parte da tela.

Pelo visto, a renomada fabricante de câmeras RED pretende mudar isso, pois anunciou o “revolucionário” Hydrogen One, que segundo ela fará com que “o futuro da comunicação pessoal, a coleta de informações, a visão múltipla holográfica, 2D, 3D, AR/VR/MR e a captura de imagens mudem para sempre”, contando com sistema operacional Android e alguns diferenciais importantes.

Não foram dados muitos detalhes técnicos sobre o aparelho, porém o arquivo de divulgação liberado pela empresa está repleto de funcionalidades que veremos no dispositivo, com uma certa ênfase em seu display de 5,7 polegadas com “capacidades holográficas sem uso de óculos”, o que remete a algo provavelmente como temos no Nintendo 3DS ou no longínquo LG Optimus 3D apresentado lá em 2011.

No caso do Hydrogen One, entretanto, teríamos algo ainda mais imersivo, sendo falado não apenas sobre a projeção de imagens em 3D mas também da conversão automática de conteúdo do tradicional 2D para 3D, holograma com visão multidimensional e jogos interativos, o que dá a entender que será possível realizar ações com o conteúdo projetado da tela sem precisar tocar no display.

Além dos diferenciais para o display, é falado também de um conjunto de áudio que consiga acompanhar tamanha imersão, sendo usada uma tecnologia proprietária chamada de H30 que “converte som estéreo tradicional em áudio multidimensional”, algo como a simulação de 5.1 canais para efeito de surround. Se isto será realmente tão imersivo quanto a RED afirma, ainda não há como sabermos.

Curiosamente, entretanto, um dos pontos que não recebeu tanta atenção no comunicado foi justamente o conjunto de câmeras presente no aparelho, o que é no mínimo estranho já que este é o setor em que a RED possui maior experiência. Sobre o assunto, é comentado apenas que o Hydrogen One terá “conectores de alta velocidade para componentes modulares abrangentes e em constante expansão, incluindo futuros anexos para fotos e vídeos de melhor qualidade”.

Sim, isto soa exatamente como o que a Lenovo fez na linha Moto Z, sendo inclusive encontrados na imagem divulgada pela empresa os conectores bastante similares esteticamente, o que demonstra que a ideia dos Moto Snaps pode ter enfim começado a “inspirar” outras companhias a seguir para o caminho de acessórios modulares.

Mas e o preo?

Como visto, o primeiro smartphone da RED trará algumas tecnologias avançadas para áudio e vídeo, além da possibilidade de expandir suas funcionalidades com acessórios modulares. Pelo visto, a empresa acredita que este “assalto aos seus sentidos” pode ser convertido para um assalto ao seu bolso também, pois o Hydrogen One está disponível em pré-venda por nada menos do que US$ 1.195 em sua versão construída em alumínio, sendo cobrados US$ 1.595 pela variante em titânio.

Este preço não inclui possíveis impostos de importação ou taxas de entrega, o que significa que no final das contas pode sair por algo ainda mais proibitivo. A RED afirmou que a entrega do dispositivo está planejada para acontecer no primeiro trimestre de 2018, sendo enviado inicialmente um lote para os primeiros compradores e depois feita uma venda mais limitada devido à dificuldade na fabricação do display.

E aí, disposto a desembolsar essa bagatela pelo aparelho da RED? Deixe seu comentário abaixo!

Source

Related posts

Leave a Comment