You are here

Recife intensifica combate a morcegos transmissores de raiva após confirmação da causa de morte de mulher | Pernambuco

Trabalho consiste no mapeamento de imóveis abandonados que podem servir de abrigo para colônias, na captura de alguns animais e na aplicação de uma pasta vampiricida no dorso dos bichos.

Secretaria de Saúde do Recife vai aplicar pasta vampiricida para combater morcegos transmissores de raiva (Foto: Reprodução/EPTV)Secretaria de Saúde do Recife vai aplicar pasta vampiricida para combater morcegos transmissores de raiva (Foto: Reprodução/EPTV)

Secretaria de Saúde do Recife vai aplicar pasta vampiricida para combater morcegos transmissores de raiva (Foto: Reprodução/EPTV)

A Prefeitura do Recife resolveu intensificar o trabalho de combate a morcegos hematófagos, capazes de transmitir a raiva a animais e, consequentemente, a humanos, após o resultado positivo para o exame de raiva feito na mulher de 36 anos que faleceu na quinta (29), no Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc), na área central da cidade. Aliada à aplicação do protocolo do Ministério da Saúde para evitar novos casos e à extensão da vacinação de cães e gatos até 21 de julho, a ação visa minimizar os riscos de transmissão da doença na capital pernambucana.

A política consiste no mapeamento de imóveis abandonados e locais de criadouro de animais de pecuária para identificar possíveis colônias de morcegos. Durante a noite, os locais vão receber a visita das equipes da Secretaria de Saúde do Recife para capturar os bichos, aplicar uma pasta vampiricida no dorso dos animais e soltá-los para que eles possam transmitir a substância a outros morcegos da colônia através da lambedura.

“Ainda não fizemos o trabalho noturno devido ao clima. Estamos aguardando o término das chuvas para dar início a essa etapa”, explicou ao G1 Jurandir Almeida, gerente de vigilância ambiental da Prefeitura do Recife. A prioridade da ação são imóveis em um raio de cinco quilômetros da casa em que a vítima da doença morava, no bairro de Santo Amaro, na área central da cidade, mas outras localidades da capital pernambucana também devem receber a ação.

“A intenção é que essa vire uma política municipal, porque outros bairros também devem receber as equipes. Isso sempre acontecia, mas de uma maneira esporádica. Com esse caso, essa ação é intensificada”, garantiu Jurandir.

Além da captura de morcegos, a campanha antirrábica segue até o dia 21 de julho para vacinar cães e gatos contra a raiva. A ação acontece após o segundo ‘Dia D’ da vacinação, ocorrido no sábado (1º), e tem o objetivo de evitar a contaminação de outras pessoas sobretudo na área onde o gato atingiu a vítima.

Somente no dia 1º de julho, 2,1 mil animais foram vacinados nos postos ofertados pela Secretaria de Saúde do Recife. Outro ‘Dia D’ havia acontecido em 10 de junho, mas o percentual de animais vacinados não alcançou o nível desejado pela secretaria. “Estudamos os locais em que não conseguimos a cobertura desejada e por isso vamos intensificar as ações de vacinação nesses locais”, explicou o gerente de vigilância ambiental.

Confira os locais de vacinação

  • Hospital Veterinário do Recife – Avenida Professor Estevão Francisco da Costa, s/n – Cordeiro
  • Unidade de Vigilância de Zoonoses (CVA) – Av. Antônio da Costa Azevedo, 1135 – Peixinhos
  • Distrito Sanitário 1 – Rua Mário Domingues, 70 – Boa Vista
  • Distrito Sanitário 2- Rua Antônio Rangel, 208 – Encruzilhada
  • Distrito Sanitário 3 – Rua Xavantes, 205 – Casa Amarela
  • Distrito Sanitário 4 – Rua Cantora Clara Nunes, s/n – Torre
  • Distrito Sanitário 5 – Rua Emília Torreão, 135 – Afogados
  • Distrito Sanitário 6 – Av. Jean Emile Favre, 1636 – Ipsep
  • Distrito Sanitário 7 – Rua Xavantes, 205 – Casa Amarela
  • Distrito Sanitário 8 – Av. Jean Emile Favre, 1636 – Ipsep

Exame confirma que mulher morreu por raiva humana no Recife

Exame confirma que mulher morreu por raiva humana no Recife

Agredida na mama direita por um gato no mês de abril, Adriana Vicente da Silva não chegou a procurar uma unidade de saúde. No dia 18 de junho, ao apresentar sintomas, procurou o Hospital Agamenon Magalhães, no bairro de Casa Amarela, na Zona Norte do Recife. Em 26 de junho, o quadro da paciente se agravou e fez com que ela fosse transferida para o Huoc, onde faleceu na quinta (29). (Veja vídeo acima)

Source

Related posts

Leave a Comment