You are here

Políticos e famosos eram clientes de loja investigada, segundo Polícia Federal

Operação Harpócrates

Investigações começaram há cerca de 40 dias e as redes sociais auxiliaram

A loja R3 Imports, de propriedade de Rogério Rodrigues dos Reis, era conhecida por abastecer pessoas famosas, figuras públicas e políticos com as novidades tecnológicas. Segundo a Polícia Federal, o dono tem o costume de postar foto com seus clientes nas redes sociais e ostentar um estilo de vida luxuoso. Durante a Operação Harpócrates policiais fizeram buscas no comércio e no quarto do proprietário.

Além de Rogério, Marcel Colombo também é investigado da PF e foi preso nesta manhã (21) durante as diligências. “O outro (Rogério) ostentava na rede social foto com figuras públicas, políticos, pessoas famosas que diziam ser clientes. A princípio os clientes não são os alvos da nossa operação”, destacou o delegado José Antônio de Oliveira Franco.

De acordo com Franco, um balanço parcial apontou que na loja de Rogério foram apreendidos cerca de R$ 180 mil em mercadorias importadas e sem nota fiscal. “Não deve ter ficado muita coisa na loja, tudo que estava sem nota a gente apreendeu”, relatou.

Em sua página pessoal no Facebook, Rogério tem foto com cantores famosos como Gusttavo Lima e o MC Kevinho. Durante um show que fez em Campo Grande o cantor sertanejo recomendou os produtos da R3 Imports e confirmou que teria comprado um Iphone modelo 8. A página da loja no Instagram tem 38 mil seguidores.

Segundo o delegado, as investigações começaram há cerca de 40 dias e as redes sociais auxiliaram os policiais agirem de maneira rápida. “O que chamou a atenção foi o estilo de vida e quantidade de pessoas que denunciaram. Acho que as pessoas se sentiram afrontadas de verem dois rapazes fazendo uso de veículos de luxo, bebidas em festa e sem uma atividade lícita. A população se sentiu incomodada e estamos dando o retorno”, ressaltou.

PRESO

Na casa de Marcel foi apreendida uma pistola calibre 635 sem registro, diversos frascos de perfume de origem estrangeira, roupas de países da América Latina, como o Peru, soco inglês, remédios anabolizantes sem autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e R$ 2,2 mil em notas falsas. Os produtos apreendidos embasaram a prisão em flagrante do suspeito.

OPERAÇÃO HARPÓCRATES

A operação da Polícia Federal em conjunto com a Receita Federal desencadeada nesta quinta-feira (21) cumpriu quatro mandados de busca e apreensão em Campo Grande. Três auditores-fiscais e dois analistas-tributários da Receita Federal, e dezoito policiais participaram da operação.

Source

Related posts