You are here

O que podemos esperar da máquina de gols chamada Manchester City? | futebol inglês

O mais justo é que houvesse, sim, uma fagulha de dúvida neste início de temporada. Normalmente, não há: o time com o melhor futebol, aquele que reúne beleza e resultado, é apontado como num piscar de olhos. Mas, desta vez, o momento de hesitação que antecede a resposta é compreensível porque tanto Manchester City quanto Napoli estão jogando muita bola. Só que o duelo de terça pela Liga dos Campeões os líderes da Inglaterra e da Itália frente à frente, e o time de Pep Guardiola tratou de encerrar essa incerteza antes mesmo do fim do primeiro tempo encaminhando o que seria uma vitória por 2 a 1 com absoluta superioridade. E com gols, claro. O que virou rotina nos últimos meses.

Passados 12 jogos desde o início da temporada 2017/18, sendo oito pelo Campeonato Inglês, três pela Liga dos Campeões e um pela Copa da Liga Inglesa, eis os números do Manchester City:

A vitória sobre o Napoli foi a décima consecutiva da equipe, que havia vencido nesta ordem Bournemouth (2 a 1), Liverpool (5 a 0), Feyenoord (4 a 0), Watford (6 a 0), West Bromwich (2 a 1), Crystal Palace (5 a 0), Shakhtar Donetsk (2 a 0), Chelsea (1 a 0) e Stoke City (7 a 2). Na Premier League, o City é o líder isolado com dois pontos de diferença para o United, segundo colocado. Também lidera o Grupo F da Champions com folga.

Quando o coletivo é bom…

Impossível atribuir o bom momento a um único jogador, bem clichê nesses casos. De Bruyne vem sendo destaque há alguns anos, por exemplo, mas nada seria de Agüero, Gabriel Jesus e companhia não convertesse em gols as ótimas jogadas do meia belga. E a recíproca é verdadeira. Os 39 gols da equipe estão divididos desta maneira:

  • Sterling – 8
  • Gabriel Jesus – 8
  • Agüero – 7
  • Sané – 6
  • De Bruyne – 2
  • Stones – 2
  • Bernardo Silva – 1
  • Delph – 1
  • David Silva – 1
  • Fernandinho – 1
  • Otamendi – 1
  • Gols contra – 1

Só que dois jogadores são pontos fora da curva, frutos de uma evolução transparente. Gabriel Jesus assumiu o fardo de homem gol de Guardiola e tomou gosto pela coisa, mesmo que para isso tenha precisado aprender a lidar com a concorrência/parceria de Agüero, simplesmente o maior artilheiro da história do Manchester City.

Gols de Gabriel Jesus são um dos pilares do bom momento do City (Foto: AFP)Gols de Gabriel Jesus são um dos pilares do bom momento do City (Foto: AFP)

Gols de Gabriel Jesus são um dos pilares do bom momento do City (Foto: AFP)

No total, o atacante da seleção brasileira participou diretamente de 21 gols em 20 partidas desde que chegou ao clube inglês: 15 gols e seis assistências para os companheiros. Atingiu esse número de gols pela equipe antes de Agüero, por exemplo – que precisou de 21 jogos. A média do Palmeiras de 0,32 gols não é nada comparada à atual, que é de 1,33. Quase quatro vezes maior, portanto.

O outro baluarte, quem diria, é Raheem Sterling. Artilheiro do City na temporada, o atacante de 22 anos caminha a passos largos em direção à melhor temporada da carreira nesse quesito.

“Os gols de Sterling nas últimas cinco temporadas
13/14 – 10 (38 jogos)
14/15 – 11 (52 jogos)
15/16 – 11 (47 jogos)
16/17 – 10 (47 jogos)
17/18 – 8 (11 jogos)”

O melhor futebol do mundo?

Partimos de um cálculo exato, o de gols, para um assunto mais subjetivo. Afinal, o Manchester City está apresentando o melhor futebol da atualidade? Ao menos sob o comando de Pep Guardiola, a equipe acaba de igualar sua maior sequência de vitórias (10) – curiosamente, o que também aconteceu no início da temporada passada.

Vejamos o que tem a dizer Michel Cox, jornalista da “ESPN” britânica e autor do livro “The Mixer: The Story of Premier League Tatics”.

“Essa primeira meia hora do Manchester City está entre as melhores atuações que eu já vi de um time inglês no futebol. Controle total e chances constantes”.

Leonardo Miranda, do blog “Painel Tático” do GloboEsporte.com também destrinchou o esquema de Pep Guardiola pegando a atuação diante do Napoli como exemplo.

200 gols em uma temporada?

A conta é simples. Com 39 gols em 12 jogos na temporada até agora, o Manchester City de Pep Guardiola tem média de 3,25 gols por partida até o momento. Se chegar às finais em todas as competições que disputa e mantiver o desempenho, o treinador espanhol pode ver sua equipe alcançar a incrível marca de 200 gols na temporada. Explicamos:

  • Campeonato inglês: mais 30 jogos a disputar
  • Liga dos Campeões (caso chegue à final): mais 10 jogos
  • Copa da Liga Inglesa (caso chegue à final): mais cinco jogos (competição está nas oitavas de final, com confrontos único, com exceção da semifinal, que é disputada em duas partidas)
  • Copa da Inglaterra (caso chegue à final): mais seis jogos (City entra na terceira fase; contagem sem considerar possíveis jogos de volta, que ocorrem em caso de empate na ida)
  • Total: mais 51 jogos a disputar

Caso mantenha a média de 3,25 gols por partida nos 51 jogos restantes, o Manchester City marcaria mais 165 gols que, somados aos 39 já feitos, dariam 204. É possível?

“Manchester City tem o melhor saldo de gols entre qualquer time das cinco maiores ligas europeias na temporada (+33). Rolo compressor.”

O time é jovem. E deve evoluir

O Manchester City empolga com suas atuações no momento e empolga ainda mais quando se nota que é uma equipe para durar muito tempo. A escalação do time nesta terça teve a menor média de idade sob o comando de Pep Guardiola (média de 26 anos e 73 dias). Dos 11 titulares, cinco tem 24 anos ou menos.

Sterling, de 22 anos, comemora com De Bruyne, de 26, e Sané, de 21: o jovem time do Manchester City (Foto: Getty Images)Sterling, de 22 anos, comemora com De Bruyne, de 26, e Sané, de 21: o jovem time do Manchester City (Foto: Getty Images)

Sterling, de 22 anos, comemora com De Bruyne, de 26, e Sané, de 21: o jovem time do Manchester City (Foto: Getty Images)

A equipe gastou quase 250 milhões de euros (cerca de R$ 925 milhões) em contratações nesta temporada para renovar o time. Zabaleta, Caballero, Kolarov, Clichy, Jesús Navas, Hart e outros foram embora. E jovens, como Bernardo Silva, Ederson, Mendy, e mesmo Walker e Danilo, com 27 e 26 anos cada, respectivamente, chegaram para render por mais tempo. Entre os 11 que começaram jogando contra o Napoli, apena Fernandinho e David Silva têm mais de 30 anos.

  • Ederson (24 anos)
  • Walker (27 anos)
  • Stones (23 anos)
  • Otamendi (29 anos)
  • Delph (27 anos)
  • Fernandinho (32 anos)
  • David Silva (31 anos)
  • De Bruyne (26 anos)
  • Sané (21 anos)
  • Sterling (22 anos)
  • Jesus (20 anos)

Source

Related posts

Leave a Comment