You are here

o que pensa uma adepta do antinatalismo :: FolhaGO

O mundo est cheio de casais dispostos a gastar bastante dinheiro e submeter-se a tratamentos mdicos s vezes difceis para conseguir tornar realidade seu sonho de ter filhos.

H pessoas, no entanto, que pensam justamente o contrrio: que trazer novas vidas a um mundo superpovoado e com recursos limitados seria “uma falta de responsabilidade”.

A espanhola Audrey Garca, de 39 anos, uma das que dizem ter motivos fortes para escolher no gerar descendentes.

Desde adolescente ela pensava em no ter filhos. Aos 20 anos, no entanto, diz que a ideia se confirmou, por achar que “no tico ter filhos biolgicos”.

Os que pensam como ela so conhecidos como antinatalistas e se inspiram, em geral, nas ideias de David Benatar, diretor do departamento de Filosofia da Universidade da Cidade do Cabo, na frica do Sul, um dos expoentes atuais dessa corrente de pensamento.

O antinatalismo, para Garca, tambm est associado ao veganismo, pelo qual ela optou antes mesmo de decidir que no queria filhos.

Ser antinatalista, na opinio dela, tambm ir contra o sistema estabelecido, que “supe que uma mulher est destinada a ser me”.

A espanhola submeteu-se a uma cirurgia de histerectomia, mas no descarta, no entanto, a possibilidade de querer ter filhos no futuro. Adotar crianas uma opo que ela ainda considera.

Aos que dizem que a ideia “egosta”, a barceloneta responde que nem todos os que decidem no ter descendentes biolgicos o fazem pelos mesmos motivos.

“No vejo o que h de egosta em querer dedicar sua vida a outra coisa que no seja ter filhos. O que acho egosta tomar, de maneira unilateral, a deciso de trazer algum a este mundo.”

Outro motivo listado pelos antinatalistas o fato de que todos os seres humanos experimentam o sofrimento fsico, psicolgico e emocional.

Desde que se tornou ativista, ela diz que lamenta “menos” que seus pais a tenham trazido ao mundo.

Source

Related posts