You are here

‘Monster Hunter: World’ poderia ser apenas mais um, mas multiplayer brilha; G1 jogou | Brasil Game Show 2017

“Monster Hunter: World” é a mais nova tentativa da Capcom de finalmente popularizar a franquia no ocidente. Presente como um dos principais destaques do stand da Warner Bros. na Brasil Game Show 2017, o game pode finalmente atingir seu objetivo. Pelo menos do que depender de seu modo multiplayer. Assista ao vídeo acima.

Na feira, a imprensa teve acesso a demonstrações dos modos de apenas um jogador e de uma equipe com quatro pessoas. Ambas consistem em missões razoavelmente simples: Rastrear um monstro gigante, enfrentá-lo e dar um fim à sua vida.

Tudo isso com um arsenal gigantesco de armas (que vão desde espada e escudo a armas de longo alcance), armaduras e outros itens que mudam as características do caçador – além de um sistema de botões que talvez seja comum do outro lado do mundo, mas que aqui parece mais complicado que intuitivo.

A complexidade de equipamentos e controle chega até a desanimar, e a similaridade com um hack and slash o aproximam demais de diversos outros games para empolgar. Para ser justo, a missão solitária tinha uma dificuldade baixa e servia para familiarização com os comandos, mas algo parecia estar faltando.

E não é que isso mude muito com a companhia de uma equipe, mas há algo em ver diversas explosões, golpes e reações do monstro aos ataques por todos os lado que eleva “Monster Hunter: World” do nível “já vi isso antes” e o coloca num patamar “eu não reclamaria em passar algumas horas com amigos caçando lagartos gigantes”.

Source

Related posts

Leave a Comment