You are here

Médicos do Piauí anunciam paralisação de três dias e suspendem realização de mutirão de cirurgias no HGV

Os Médicos do Estado do Piauí suspenderam a realização do mutirão de cirurgias programado para esse sábado (01), no Hospital Getúlio Vargas, em Teresina. A previsão era de que vinte e quatro pacientes seriam beneficiados com cirurgias de hérnias abdominais (inguinal, epigástrica e umbilical), colecistectomias (retirada vesícula biliar); além de cirurgias plásticas não estéticas.

A assessoria de imprensa do Sindicato dos Médicos do Piauí (Simepi) informou ao Portal AZ, que a interrupção das atividades por parte dos profissionais, se deu por conta do corte salarial de 10 dias de trabalho dos servidores. Os profissionais esperaram uma resposta do Governo, até ontem (30), mas sem êxito decidiram suspender os atendimentos.

“Esse corte no salário trata-se de uma retenção dolosa de salário, o que configura um grave abuso de autoridade e improbidade administrativa por parte dos secretários de administração e saúde. O corte foi tão arbitrário que atingiu servidores de férias, mesmo os estes tendo comprovado o trabalho durante todo o mês, através de folhas de frequência, fichas de atendimento e de procedimentos, foram feitos os cortes”, diz trecho de nota publicada no site do Simepi.

A categoria deliberou pela paralisação dos atendimentos eletivos, consultas e procedimentos, nos dias 04, 05 e 06 de julho, com concentração às 7 horas do dia 04, terça-feira, no Ambulatório Azul do Hospital Getúlio Vargas.

Uma Assembleia Geral está marcada para o último dia de paralisação, dia 06, quinta-feira, às 19 horas, no Simepi, para avaliar novos rumos e providências a serem tomadas.

A direção do Hospital Getúlio Vargas divulgou nota informando que a suspensão dos atendimentos por parte dos médicos, não foi previamente comunicada e que a decisão prejudicou os pacientes e familiares.

Além disso, a administração da unidade de saúde destacou que a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) e Secretaria de Estado da Administração e Previdência(SEADPREV), estão tentando solucionar a questão dos descontos nos contracheques dos servidores.

Confira a nota na íntegra

A direção do Hospital Getúlio Vargas (HGV) se manifesta contrária à decisão do Sindicato dos Médicos do Piauí (Simepi) que se posicionou pela não realização do mutirão de cirurgias, hoje (1º), conforme já estava programado e divulgado aos familiares e imprensa. 

Para a direção geral, a decisão do Simepi, sem a devida comunicação prévia, prejudica os pacientes e familiares que se deslocaram de suas residências, muito deles de municípios distantes, para serem operados durante o mutirão, já que não houve tempo hábil para avisar os pacientes e familiares. 

A diretoria afirma, ainda, acreditar no bom senso da categoria e confia que eles permanecerão em respeito para com os pacientes; além de destacar que já existe um canal aberto de negociação com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) e Secretaria de Estado da Administração e Previdência(SEADPREV), no que se refere aos descontos que houve nos contracheques desses profissionais no mês de junho, assim como aconteceu com outros profissionais da saúde.

Source

Related posts

Leave a Comment