You are here

Médica é desligada de hospital em Praia Grande após debochar de nome de paciente

Médica era plantonista do hospital e trabalhava
para uma empresa terceirizada (Foto: Divulgação)

Uma médica de Praia Grande foi desligada de seu emprego após expor em uma rede social o nome de uma paciente de 65 anos, que ela havia atendido na última terça-feira (30), no Hospital Irmã Dulce. Na postagem feita dentro de uma comunidade na internet, a médica Claudia Regina Zanella, que trabalhava como plantonista na unidade, debochou do nome da idosa, identificada como Valmita Dias. 

O caso, que foi encaminhado à Delegacia de Mulher, ganhou repercussão na internet na quarta-feira (31) e chegou ao conhecimento do hospital, que imediatamente acionou a empresa terceirizada para a qual a funcionária prestava serviço.

Advogado da idosa, Marco Antonio Pinheiro Mateus conta que a paciente havia procurado o Hospital Irmã Dulce, no início da semana. “Ela estava com a pressão alta e foi à unidade na tarde do último dia 30. Quando chegou para ser atendida, percebeu que uma equipe na enfermagem começou a rir da cara dela por causa do seu nome. Depois disso, ela foi atendida, fez alguns exames e foi embora”. 

No dia seguinte a consulta, o advogado conta que uma foto do prontuário com o nome de Valmita foi divulgado pela médica em uma comunidade na internet. “Ela tirou uma foto da ficha da paciente e fez uma postagem que deixou a família bastante abalada. Houve uma repercussão muito grande. Foram muitos comentários pejorativos tanto à minha cliente quanto a médica. E foi fácil identificar que se tratava da minha cliente, porque é um nome que não é tão comum”, conta.  

Comentário foi postado em comunidade na internet
(Foto: Reprodução)

Inconformada com a repercussão do caso, a família da idosa procurou a ajuda do advogado. “Essa médica feriu a ética e por isso vamos levar o caso ao conhecimento do Conselho de Medicina. Foi uma falha muito grande e nosso pleito não é indenizatório. Queremos com essa ação inibir que ela continue adotando essa postura, além de servir de exemplo para outros profissionais”. 

A Reportagem procurou a família da idosa que preferiu não dar mais informações a respeito do caso, em razão da grande repercussão na internet. Após o episódio, a médica apagou o comentário e publicou uma nota de arrependimento na comunidade onde o caso ganhou repercussão. 

Na publicação, a médica  lamenta o ocorrido e afirma ter agido por impulso, desrespeitando a paciente. Porém, ressalta que em nenhum momento imaginou que pudesse ser mal interpretada. “Reconheço que foi um erro e que jamais deveria expor a paciente desta forma. […] Eu errei e extrapolei na minha colocação. Jamais farei isso novamente. Estou arrasada pela repercussão negativa que este gesto ocasionou e me desculpo com a paciente, com seus familiares e com a população, a quem atendo com máximo de carinho e atenção diariamente”. 

Procurada pela Reportagem, a médica, que diz ter perdido o emprego após o episódio, reafirmou que em nenhum momento quis ofender a paciente. Ela não quis dar mais esclarecimentos sobre o caso. 

Em nota, a Diretoria Geral do Complexo Hospitalar Irmã Dulce disse que notificou a empresa para o qual a médica presta serviço solicitando o afastamento imediato da profissional, que deixa de fazer parte da equipe de atendimento. Todo o caso está sendo apurado pela Comissão de Ética do Hospital para as providências cabíveis.

O Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) também irá instaurar sindicância para a averiguação dos fatos, o que envolve coleta de provas e documentos sobre o ocorrido, manifestação escrita e, sempre que necessário, audiência com os envolvidos. A sindicância leva, em média, de seis meses a dois anos para ser concluída e tramita em sigilo processual.  

Source

Related posts

Leave a Comment