You are here

Marcos Harter critica Globo e compara seu caso ao de Temer

A sequência de agressões vivida pelo casal Marcos Harter e Emilly Araújo no Big Brother Brasil, que teve como ápice a expulsão do médico, ainda repercute quase quatro meses depois do final do reality show da Globo. Em participação no Programa do Porchat de terça (1°), o ex-confinado falou abertamente sobre o assunto e, além de ter criticado a atitude de Emilly, namorada dele durante a atração, contestou a atitude da emissora.

Marcos ainda se ressente pelo fato de a Globo não ter mostrado no programa o testemunho de Emilly sobre o que aconteceu entre os dois, limitando-se a exibir cenas das brigas do ex-casal. E fez uma comparação curiosa: “A Rede Globo mostra a gravação do Temer. Por que não mostra a da Emilly?”.

Porchat não se esquivou do assunto polêmico e, além de exibir o vídeo das agressões, o questionou sobre a expulsão. Marcos negou agressão física e resumiu o caso como uma “discussão tensa”.

– A cena é tão forte que as pessoas não prestaram atenção ao conteúdo. Era uma infantilidade. Óbvio que não justifica…

– Você concorda que passou do ponto? – perguntou Porchat.

– Passei, passei. Mas deveriam ter chego e falado: ‘Marcos, passou, tá pesado. Existe um clamor social aqui fora. Temos um ator que teve um problema, um cantor que teve um problema…’ Eu tava de boa. Aquilo pra mim foi uma brincadeira.

 

Em outro momento do programa, Porchat lembrou que, após a saída de Marcos, Emilly chorou.

– Choro seco, não? – perguntou ele.

– Você achou que era mentira?

– Ela estava distante… Estavam nos chamando muito naquele dia (no confessionário). Aí houve todo aquele movimento e a Globo teve que tomar uma inciativa.

– Você acha que foi certa ou errada a iniciativa da Globo de te tirar do programa?

– Eu acho que foi correto, mas não a forma que aconteceu. Eles deveriam ter sido honestos, e não terem entregue a faca na mão da Emilly – completou Marcos.

Em outro trecho do programa, Marcos comentou uma gravação em que aparece criticando o movimento de atrizes contra o machismo depois da briga divulgada no BBB. “As retardadas das atrizes começaram a fazer um ‘mexeu com uma, mexeu com todas’”, disse, no áudio.

– Isso também não ajuda você – comentou Porchat.

– Cara, eu não vou contradizer… Elas não estavam assistindo (ao reality) e aí, de repente… ‘O que eu tenho que defender para aparecer?’ Eu não sou machista, muito pelo contrário. Foi uma situação real. A gente passa fome, a gente passa dificuldade lá dentro. Mas eu saí da linha. Não teve agressão dela.

– Mas você segurou ela?

– Da mesma maneira que ela me segurou. Quando eu saí do programa, eu tinha várias marcas de arranhão. Fiquei de boa, não fui na delegacia, nada. Não via como algo normal, mas acontecia, tinha provas, aparecia um roxo…

– Você não acha o movimento das mulheres válido?

– Acho, mas diante de uma situação real de agressão. Por que não fizeram com o José Mayer?

– Mas esse movimento começou com o José Mayer – retrucou Porchat.

– Acho válido. A mulher é fruto de muito preconceito há muito tempo. Tenho colegas cirurgiãs plásticas excelentes. Minha advogada é mulher. Minha sócia é mulher. Se eu fosse machista, não teria negócios com mulheres. Mas acho que, às vezes pode passar um pouco do ponto.

Assista:

Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa fanpage no Facebook.

Source

Related posts

Leave a Comment