You are here

Lédio não vê partida desleal na Arena Condá e avalia confusão: “Surpreende”

Tenso. Se há um adjetivo que pode definir a partida entre Chapecoense e Cruzeiro, válida pela Copa do Brasil, este certamente é o mais apropriado. Nos 90 minutos, apesar de pedidos de pênalti e de dois gols anulados, o placar não saiu do zero, que deu à Raposa a vaga nas quartas de final. No fim de jogo, muita pressão em cima da arbitragem, expulsão do zagueiro Victor Ramos e confusão entre os times nos vestiários. Durante o “Troca de Passes”, o comentarista Lédio Carmona deu sua opinião sobre o caso. Para ele, ficou evidente que a tensão estava no ar durante a partida, mas a briga no fim da partida foi uma surpresa, pelo fato de as duas equipes terem mostrado um jogo leal dentro de campo, apesar do caráter decisivo (assista ao vídeo acima).

– O jogo foi nervoso, tenso. A gente já imaginava que ia ter reclamação sobre arbitragem no final do jogo, e eu acho até injusta, acho que a arbitragem não comprometeu o resultado do jogo, mas a briga no final foi surpreendente. Até porque o jogo não teve momentos de deslealdade, foi um jogo intenso, pegado, muito nervoso, mas deslealdade, violência… não teve motivo para chegar nesse ponto, e briga em vestiário é uma coisa que você não vê muito no futebol brasileiro, diga-se de passagem. E tinha um ou outro torcedor que acabou acertando o quarto árbitro, são coisas lamentáveis. (…) Me surpreende, até porque a Arena Condá, normalmente, você não vê cenas desse tipo, muito pelo contrário – avaliou.

Confusão entre jogadores da Chapecoense e do Cruzeiro (Foto: Reprodução/ Sportv)Confusão entre jogadores da Chapecoense e do Cruzeiro (Foto: Reprodução/ Sportv)

A confusão começou logo após o término da partida, quando jogadores e comissão técnica da Chapecoense fizeram reclamações à equipe de arbitragem. Na sequência, as equipes se dirigiam para os vestiários – bem próximos, inclusive – e começaram a discutir. Ainda em campo, o quarto árbitro da partida foi atingido por um objeto atirado da arquibancada. Além de ter explicado a situação, Lédio avaliou as cobranças da Chape em relação ao quarteto de arbitragem, que foram o pontapé inicial para o restante da confusão. Na opinião do analista, a atuação do juiz Péricles Bassols foi boa e os gols foram bem anulados, o que faz com que as reclamações não se justifiquem.

– São dois focos de confusão, o primeiro foco é o da arbitragem. O gol anulado, por exemplo, foi bem anulado, o Luiz Otávio estava adiantado. Então quando você vê a confusão dentro do campo, o Péricles Bassols e seus assistentes sendo cercados, aí é aquela coisa natural de fim de jogo, um time revoltado porque não conseguiu chegar ao seu objetivo, pressionando a arbitragem, os torcedores chamando o Péricles de ladrão. O que acontece no vestiário me parece provocação de jogador, e isso ficou meio claro. Parece que o Léo teria provocado o Victor Ramos, aí depois veio o Diogo Barbosa jogar um copo d’água em cima dos jogadores da Chapecoense. É um outro foco de briga que já não parte mais da arbitragem, é uma coisa mais de provocação, com os jogadores de cabeça quente no fim também por causa da questão da arbitragem que, volto a dizer, me parece injusta com quem apitou hoje aqui, o trabalho foi bem feito – analisou.

+ Mano Menezes admite ter atrapalhado Reinaldo em lateral: “Não foi sem querer”

A agressão ao quarto árbitro fo relatada na súmula da partida; por sua vez, a confusão no vestiário também foi relatada, mas os responsáveis por iniciar a confusão não foram apontados. De qualquer forma, Lédio crê que a Chape será, provavelmente, punida com alguns jogos com portões fechados no Brasileiro.

– O quarto árbitro saindo com o rosto sangrando, a confusão no vestiário… difícil a Chape escapar. Não sei quantos jogos, portões fechados, certamente vai passar por um ou dois jogos, pelo menos, com portões fechados no Campeonato Brasileiro. Não tem muito jeito de escapar disso não – disse.

Em entrevista, Bruno Vicintin, vice-presidente da Raposa, disse que, da parte do Cruzeiro, está tudo superado e que a recepção à Chape será boa. No entanto, a situação ainda deve render pano para manga. No domingo, as duas equipes se enfrentam novamente, em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro. Dessa vez, a partida será realizada no Mineirão, às 19h.

Vagner Mancini Chapecoense (Foto: Eduardo Florão)Treinador da Chape, Vágner Mancini tentou separar briga, mas acabou envolvido na confusão (Foto: Eduardo Florão)

Source

Related posts

Leave a Comment