You are here

Justia exige melhor monitoramento de Funaro em priso domiciliar – Politica

Braslia, 17 – O juiz Ricardo Augusto Soares Leite, da 10. Vara do Distrito Federal, pediu que a defesa de Lcio Funaro apresente Justia novas informaes da fiscalizao do ambiente onde o corretor financeiro cumpre priso domiciliar desde dezembro do ano passado, no interior de So Paulo, em Vargem Grande do Sul.

Leite pede que a defesa entregue um novo mapa de cobertura das cmaras instaladas onde ele cumpre o regime domiciliar, com indicao do local onde esto instalados os aparelhos, e cobra tambm os registros da monitorao eletrnica feitos desde o primeiro dia da domiciliar at 31 de dezembro.

O juiz ainda requer que o Ncleo de Segurana da Seo Judiciria do DF seja consultado sobre a possibilidade de se fazer a fiscalizao das condies exigidas a Funaro para sair da Papuda.

O pedido surgiu de uma constatao do juiz de que as imagens do “mapa” de cmeras apresentadas pela defesa de Funaro no abrangiam toda a rea ocupada na priso domiciliar, e de que alguns dos vdeos enviados no puderam ser visualizados.

O magistrado ainda reclama que a Justia est tendo dificuldades “operacionais” para a monitorao eletrnica diria da priso do corretor, e pede o auxlio do Ncleo de Segurana da Seo Judiciria do DF, que teria, na viso do juiz, estrutura e servidores com experincia na monitorao.

“Haja vista o reduzido quadro de servidores disponveis e a inexistncia nesta Unidade de sala com monitores que operem diuturnamente e em nmero suficiente, bem como a ausncia de corpo de segurana que avalie a adequao das cmeras, quanto ao nmero necessrio de aparelhos, locais de funcionamento, qualidade das imagens e ngulo de cobertura, para proporcionar melhor fiscalizao da priso domiciliar”, aponta Leite ao pedir ajuda do Ncleo de Segurana.

Funaro foi liberado da Papuda sob as condies de monitoramento eletrnico por meio de cmeras na fazenda onde ele est instalado. Ele tambm deve enviar Justia, mensalmente, os registros eletrnicos da fiscalizao.

O corretor celebrou acordo de delao premiada com a Procuradoria-Geral da Repblica na reta final do mandato do ex-procurador-geral Rodrigo Janot. Ele implicou polticos e empresrios nas suas revelaes, entre eles o presidente Michel Temer e o ex-presidente da Cmara Eduardo Cunha.

(Amanda Pupo e Rafael Moraes Moura)

Source

Related posts