You are here

Jornal Nacional – Ministro da Segurança diz que morte de Marielle pode estar ligada a milícias

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse nesta segunda-feira (16) que a hipótese mais provável na investigação dos assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes é a de participação de milícias.

O Ministro da Segurança Pública esteve no Rio de Janeiro para um encontro na Polícia Rodoviária Federal. Em uma entrevista à rádio CBN, de manhã, Raul Jungmann disse que a Polícia Civil já tem uma linha principal de investigação das mortes de Marielle Franco e Anderson Gomes.

“Essa mais provável hipótese – é até aqui onde eu posso ir, não posso passar disso – remete esse crime muito provavelmente à atuação de milícias no Rio de Janeiro. Hoje o foco se concentra, como o próprio secretário de Segurança, o Richard, falou, basicamente num crime relacionado às milícias”, disse Jungmann.

À tarde, ao falar mais uma vez com jornalistas, o ministro não foi tão enfático: “As investigações avançam, que eles estão realmente, como eu disse anteriormente, partindo de um grande conjunto de hipóteses que eles têm afunilado. E uma das possibilidades que tem crescido é de que seja um crime ligado a milícias”.

O ministro também disse que oito equipes de investigação trabalham no caso e contam com a ajuda de um especialista em reconhecimento de digitais da Polícia Federal. Os investigadores encontraram parte de uma digital numa cápsula recolhida no local do crime e vão comparar com as digitais de possíveis suspeitos.

O chefe da Polícia Civil do Rio, Rivaldo Barbosa, convidou as duas famílias para uma reunião nesta segunda-feira (16). Participaram a mulher de Anderson Gomes e os pais, a filha e a mulher de Marielle Franco.

Apesar das declarações do ministro sobre as milícias, Rivaldo preferiu não comentar linhas de investigação. “É bom que se diga que a Polícia Civil já entendeu, de fato, grande parte do cenário do crime. O que eu peço que a sociedade entenda é que nós estamos utilizando todos os meios, nós não vamos descansar enquanto nós não resolvermos esse caso”, afirmou.

A reunião durou cerca de uma hora e meia. O que as famílias de Anderson e Marielle ouviram parece tê-las deixado mais confiantes de que a polícia vai chegar aos mandantes do crime.

“Estamos todos cientes de que não é um caso fácil. Mas estamos diante de uma equipe técnica altamente qualificada cuidando das investigações. Nos garantiram que não qualquer resultado, mas o resultado correto será dado, e nós estamos aguardando e aguardaremos no tempo necessário que for para ter a verdade, para ter esse caso esclarecido, conforme ele deve ser, com justiça”, afirmou Mônica.

Source

Related posts