You are here

Infeco anterior pelo vrus da dengue no agrava quadro de zika, diz estudo – Dengue Zika – Sade – Lifestyle

O autoteste para detectar a presena do vrus HIV no organismo deve estar disponvel em farmcias de todo o pas at o fim do ms. Nesta semana, o primeiro teste desse tipo a ser vendido no Brasil comeou a chegar s farmcias do Rio de Janeiro. O produto, que custa entre R$ 60 e R$ 70, pode ser comprado sem receita mdica, e a testagem produz resultado 10 minutos aps o sangue entrar em contato com o reagente.

O Brasil o primeiro pas da Amrica Latina e Caribe a disponibilizar o autoteste em farmcias. Para a diretora do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministrio da Sade, Adele Benzaken, o produto uma ferramenta importante para aumentar a capacidade de diagnstico do vrus. Identificar a presena do HIV em 90% das pessoas infectadas uma das metas da Organizao das Naes Unidas (ONU) para 2020.

“Advogamos tanto com relao ao autoteste porque acreditamos que ele amplia e muito a cobertura diagnstica. Tm pessoas que no querem ir unidade de sade para fazer o teste do HIV”, pondera ela, que alerta que o resultado positivo no autoteste no um diagnstico. Para tal, preciso confirmao de outros exames e acompanhamento de profissionais de sade. “O teste da farmcia no confirmatrio. Com o autoteste positivo, deve-se buscar imediatamente a unidade de sade para fazer novos testes confirmatrios”, explica.

Segundo a diretora, o produto no ser comprado pelo ministrio para ser disponibilizado em unidades de sade por causa do seu preo. “Sob o ponto de vista financeiro, ele est muito caro para adotarmos. Hoje, o Ministrio da Sade adquire o teste rpido por R$ 2. Nesse momento, achamos que o mais vantajoso continuar comprando o teste rpido que j compramos e distribumos”.

Janela

Segundo a farmacutica Orange Life, que produz o kit no pas, a distribuio ser levada a So Paulo e Esprito Santo na semana que vem, para depois expandir-se para o restante do territrio nacional. Os primeiros 10 mil kits de testagens foram distribudos para algumas redes de farmcias no estado do Rio ao longo da ltima semana.

A responsvel tcnica da Orange Life, Larissa Lima, afirma que o teste tem 99,9% de preciso, mas s detecta a presena do HIV ao menos 30 dias aps a relao sexual em que houve a transmisso. Antes disso, o organismo do indivduo ainda no produziu anticorpos – e so eles que apontam a presena do vrus durante o teste. Caso o resultado seja negativo, recomendvel repetir o teste mais vezes, 30 dias depois, 60 dias depois e 90 dias depois, segundo Larissa. Alm dos instrumentos para a realizao do teste, a embalagem do teste contm os contatos do Disque Sade (136) e um nmero da prpria empresa farmacutica, que tambm prestar informaes ao usurio gratuitamente.

Tratamento

A diretora do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas da Fundao Oswaldo Cruz (Fiocruz), Valdila Veloso, acredita que o teste ser importante para que os soropositivos possam comear o tratamento mais cedo, o que permite uma melhor qualidade de vida: “Se forem diagnosticadas e tratadas precocemente, a expectativa de vida [das pessoas com HIV] semelhante da populao em geral. Ento, importante que elas se testem”.

A pesquisadora acredita que a possibilidade de o teste ser feito em casa uma ferramenta para levar a testagem a pessoas de grupos vulnerveis, que tm receio de buscar o servio de sade. “Essa disponibilizao na farmcia uma oportunidade para que as pessoas que no se sentem bem no servio de sade possam comprar o teste, se testarem e ter o seu resultado de forma reservada”.

Para Valdilia, a chegada do autoteste e a adoo da profilaxia pr-exposio, tratamento em que remdios consumidos regularmente reduzem a chance contgio, completam o leque de preveno ao HIV no pas. “As barreiras ainda continuam sendo o preconceito e a discriminao, e isso faz com que as pessoas no se abram para conversar sobre risco, preveno. Isso principalmente com o retardo do diagnostico”.

Estigma

Ativista pela preveno ao HIV, Josimar Pereira da Costa membro da secretaria-executiva do Frum de ONGs/AIDS e colaborador do Grupo Pela Vida. Ele concorda que mais possibilidades de testagens so bem vindas, mas v com preocupao os testes feitos em casa. Josimar pede mais campanhas de conscientizao para quebrar preconceitos contra a populao soropositiva e desmistificar o que viver com o vrus, para que a pessoa que tiver um resultado positivo no autoteste esteja mais preparada.

“O Brasil um pas em que h um grande estigma contra o HIV, e a pessoa tem medo de se revelar, medo de se expor, por conta de toda essa questo. Existe um preconceito que v a pessoa como sendo intocvel. Ela rotulada como promscua”, diz ele. ” preciso dar muito apoio a essa pessoa, que testou sozinha em casa e descobriu que tem uma doena sem cura contra a qual ainda existe um estigma muito grande”.

Costa vive com HIV h 27 anos e tambm acredita que as unidades bsicas de sade precisaro ter portas de entrada bem preparadas para atender os que realizaram o teste em casa. “Na clnica da famlia, por exemplo, tem que estar preparado desde o agente de sade que vai receber essa pessoa”.

A diretora do Ministrio da Sade afirma que a pasta realiza campanhas para combater a discriminao e destaca que a experincia dos pases em que o teste foi disponibilizado positiva. “O autoteste j uma realidade fora do Brasil h mais de uma dcada e no temos nenhuma evidncia de que isso provoca algum tipo de dano para a pessoa que autotestada positivo. Ela no difere das outras [que testaram em outros locais]”, aponta.

Agncia Brasil

Source

Related posts

Leave a Comment