You are here

hora de criar amortecedores, segundo Guardia – Economia

Washington, 21 – Conflitos comerciais e turbulncias financeiras so riscos visveis no horizonte e podem comprometer o crescimento global, destaca o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, na declarao preparada para a reunio, na manh deste sbado, do Comit Monetrio e Financeiro do Fundo Monetrio Internacional (FMI). Formado por 24 ministros de todos os continentes, o comit representa os 189 pases-membros e se manifesta no fim de cada reunio geral do Fundo como um grande conselho poltico.

Guardia endossa em sua declarao a dupla advertncia repetida durante a semana por diretores do FMI. A integrao internacional do comrcio, um dos motores principais do crescimento, tem facilitado a convergncia do desenvolvimento em todo o mundo, observa o ministro. Protecionismo, acrescentou, no a forma de cuidar de possveis subprodutos indesejveis dessa integrao.

Sem citar pessoas ou pases, essa manifestao mais uma referncia tenso gerada com as medidas protecionistas prometidas em maro pelo presidente Donald Trump. Depois do anncio de tarifas sobre importaes de ao e alumnio de vrias procedncias, vieram ameaas de barreiras mais amplas ao ingresso de grande nmero de produtos chineses.

Endossando tambm o diagnstico e a recomendao do FMI, o ministro defende a implantao de polticas destinadas a apoiar as pessoas afetadas pela inovao tecnolgica e pelo comrcio, enquanto se faz a transio para um novo equilbrio com mais oportunidades para todos.

Guardia acentua, igualmente, o risco associado a fragilidades financeiras decorrentes do prolongado perodo de juros muito baixos. Traduzindo: juros baixos durante muitos anos deram espao a operaes de risco, a uma grande valorizao de ativos e a enorme endividamento privado e pblico. O temor, agora, da ecloso de dificuldades, se o aperto monetrio no mundo rico se tornar de repente muito forte.

O aumento de juros nos Estados Unidos, tambm conhecido como normalizao monetria, vem sendo conduzido com muito cuidado pelo Federal Reserve, o banco central americano. Mas h o perigo, se a inflao se acentuar de forma inesperada, de um aperto mais forte que o previsto. O presidente do Banco Central do Brasil, Ilan Goldfajn, admite o risco, mas o classifica como pouco provvel. Alm disso, observa, o Fed tem comunicado seus planos com muita clareza e dificilmente algum ser surpreendido.

Recomendao. Guardia apoia a recomendao de aproveitar a boa fase da economia global para avanar na consolidao das contas pblicas e na recomposio de amortecedores fiscais. Esses amortecedores so folgas financeiras para os governos poderem atuar em caso de problemas inesperados. preciso agir, havia dito na quinta-feira a diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde, enquanto est aberta a janela de oportunidade. Ela ainda recorreu a um discurso mais popular, lembrando a convenincia de consertar o telhado enquanto o cu est azul (em Washington, de fato, estava cinzento e chuvoso, como reconheceu Lagarde, mas isso mudaria no dia seguinte).

Guardia abre caminho, com a referncia recomposio de amortecedores fiscais, para mencionar o esforo de ajuste das contas pblicas no Brasil. Esse esforo, explica o ministro, ancorado pelo limite constitucional ao gasto pblico e pela meta de resultado primrio (o saldo oramentrio calculado sem a despesa com juros): Apesar do progresso conseguido at agora, reformas devem prosseguir para manter o ambiente de inflao baixa e juros baixos, assim como a recuperao econmica. A agenda imediata inclui reformas para melhorar o sistema tributrio (referncia ao projeto de simplificao do PIS-Cofins) e o ambiente de negcios.

Grande parte da agenda fica para o prximo governo, mas esse detalhe fica fora da declarao. Mas o fato bem conhecido no FMI. A tarefa mais urgente do governante eleito no fim deste ano avanar na consolidao fiscal, comentou ontem tarde o diretor do Departamento do Hemisfrio Ocidental, Alejandro Werner. Isso inclui, segundo ele, conseguir a aprovao da reforma da Previdncia.

(Rolf Kuntz, enviado especial)

Source

Related posts