You are here

Google recebe multa de R$ 9 bilhões por favorecer seu comparador de preços em buscas

SÃO PAULO – A Comissão Europeia, órgão executivo da União Europeia, aplicou uma multa bilionária ao Google, nesta terça-feira (27), alegando que a empresa teria abusado de seu domínio de buscas na internet para favorecer seu comparador de preços, o Google Shopping.

O valor da punição é de € 2,42 bilhões, cerca de R$ 9 bilhões, e foi calculada com base na receita da empresa nos 13 países que compõem a área econômica europeia. O valor é um recorde considerando que a maior multa já emitida pelo órgão foi de € 1,06 bilhão contra a Intel em 2009, segundo a comissão.  

O Google terá que pagar a multa bilionária e, ainda, “aplicar aos concorrentes o mesmo posicionamento e forma de exibição que dá a seus serviços” e “explicar à UE como vai equiparar seus próprios serviços e o dos rivais, além de se submeter ao monitoramento do bloco europeu”.

O órgão afirma ainda que “a decisão exige que o Google suspenda a sua conduta ilegal no prazo de 90 dias a contar do veredito e se abstenha de qualquer medida que tenha o mesmo ou um efeito ou efeito equivalente”. Se não cumprir o prazo, a empresa está sujeita a multas que chegam a 5% da média diária de volume de negócios global da Alphabet, que pode chegar em até € 10,6 milhões por dia, segundo informações do The Guardian. 

Em nota, o Google afirmou que vai recorrer a multa e que “a decisão da Comissão Européia subestima o valor de compra e venda rápidas e fáceis”.

Kent Walker, vice-presidente sênior da empresa, diz que não concorda com a decisão tomada pelo órgão. “Embora alguns sites de compras de comparação desejem que o Google os mostre mais proeminente, os dados mostram que as pessoas geralmente preferem links que os levam diretamente aos produtos que querem, e não aos sites onde devem repetir suas pesquisas”.

Citando a Amazon, o executivo argumenta que com as ferramentas de comparação, avaliações, milhões de varejistas e uma vasta gama de produtos de tênis para mantimentos, a varejista de Jeff Bezos é um grande concorrente.

“À medida que a Amazon cresceu, é natural que alguns serviços de comparação tenham se mostrado menos populares do que outros. Nós competimos com a Amazon e outros sites para pesquisas relacionadas a compras, mostrando informações cada vez mais úteis sobre o produto. Quando você usa o Google para pesquisar produtos, tentamos dar o que está procurando. Nossa capacidade de fazer isso bem não é para nos favorecer, ou a qualquer site ou vendedor específico – é o resultado de um trabalho árduo e de uma inovação constante, com base nos comentários dos usuários”, finaliza o executivo.

Google

Source

Related posts

Leave a Comment