You are here

Ford EcoSport chega aos EUA mais barato e equipado

Projetado no Brasil e lançado originalmente no país em 2003, hoje o Ford EcoSport é um carro global, vendido na Europa e em outros mercados – inclusive os Estados Unidos, onde o SUV compacto acaba de ser lançado, com fabricação na Índia e algumas diferenças em relação ao modelo produzido e comercializado aqui.

A começar pelo preço: nos EUA, onde SUVs e picapes grandes têm grande volume de vendas, o EcoSport é um modelo de entrada, com preço inicial de US$ 19.995 ou R$ 64.195 na conversão direta. No Brasil, o utilitário esportivo parte de R$ 77.990, uma diferença de 21,4% para cima.

Outra diferença facilmente perceptível é que na tera do Tio Sam, bem como na Europa, o Eco é comercializado de série sem o estepe na tampa traseira, mantido no modelo brasileiro por demanda dos consumidores, segundo a Ford, mas que está cada vez mais em desuso nos SUVs modernos. Nos EUA, o item é opcional para a versão de entrada S.

Quanto à parte mecânica, outra diferença: o EcoSport dos Estados Unidos traz em três das quatro versões disponíveis o moderno motor 1.0 Ecoboost, com turbo e injeção direta de gasolina, capaz de render 125 cv de potência e 17,3 kgf.m de torque, com tração dianteira – é o mesmo propulsor que equipa no Brasil as versões de entrada do Fiesta. Aqui, exceto pela configuração de topo Titanium, o SUV traz o novo motor 1.5 flex aspirado de três cilindros, 137 cv e 16,2 kgf.m.

Na configuração de topo SES, que traz visual mais esportivo e tração integral (ainda a ser lançada para o Eco feito aqui), opcional para as demais configurações. O motor é o 2.0 aspirado com injeção direta de gasolina, que lá fora entrega 168 cv e 20,6 kgf.m – esse mesmo propulsor é disponibilizado no Brasil na configuração de topo Titanium, trazendo tecnologia flex e um pouco mais de desempenho: 176 cv e 22,53 kgf.m.

Nos EUA, independentemente da motorização escolhida, o EcoSport traz sistema start-stop, que desliga automaticamente o motor em paradas rápidas para poupar combustível, item indisponível na versão brasileira. No mercado norte-americano, todas as configurações trazem o mesmo câmbio automático de seis marchas oferecido no Eco tupiniquim e, ao contrário daqui, não há opção de transmissão manual.

Quanto aos equipamentos, a versão de entrada para os norte-americanos é mais equipada, trazendo oito airbags (o nosso tem sete), acrescentando bolsa inflável de joelho também para o passageiro dianteiro, além do motorista. Essa configuração traz, ainda, rodas de liga leve de 16 polegadas, contra 15 polegadas do nosso Eco SE básico, além de bússola e câmera de ré, que a configuração mais barata no Brasil não tem. Abaixo, foto do EcoSport brasileiro.

Lá fora, a versão intermediária SE também é mais completa que a nossa com mesma nomenclatura, trazendo ar-condicionado digital com controle automático de temperatura (disponível no Brasil a partir da configuração Freestyle), além de teto solar, sensor de chave e partida do motor por botão, itens presentes no Brasil somente na configuração topo de linha Titanium.

Por falar na versão Titanium, a dos norte-americanos também é mais recheada, oferecendo de série bancos de couro com aquecimento para o motorista e som premium da Bang&Olufsen, além da opção de contar com iluminação interna personalizável com sete cores diferentes, recurso aqui oferecido apenas em modelos mais caros da Ford, como o Fusion.

Source

Related posts