You are here

Fiat Argo mostra avanço da marca italiana

Conforme você já conferiu aqui no Autopolis, o Fiat Argo chegou para suceder o já cansado Punto e as versões mais sofisticadas do Palio (especialmente com motor 1.6). Faltava contarmos como foi nossa experiência ao volante do novo hatch italiano e saber se ele tem fôlego para trazer a Fiat de volta ao topo das listas de mais vendidos.

No evento de lançamento andamos nas versões HGT 1.8 manual e Drive 1.3 com câmbio automatizado GSR. Cada qual com suas peculiaridades, percebe-se que a Fiat se esforçou em desenvolver um produto mais evoluído em relação a seus antecessores, tanto no acabamento, como na arquitetura e motorização.  O modelo parece ter trazido para os Fiat mineiros o viés de refinamento do Fiat Toro e os Jeep Renegade e Compass, produzidos em Pernambuco.

De forma geral, em todas as versões o interior tem acabamento mais caprichado. Os revestimentos plásticos evoluíram tanto no aspecto como na sensação ao toque, embora alguns encaixes ainda possam melhorar. Os tecidos dos bancos possuem boa textura e padrões visuais bem cuidados. Os ocupantes viajam com conforto e há bom espaço para dois adultos no banco traseiro.

As regulagens do banco e do volante permitem encontrar um bom ajuste para dirigir, seja para quem gosta de uma posição mais elevada como para os que preferem o assento mais rente ao chão. Em ambos os casos, a visibilidade é boa e não há pontos cegos críticos.

As manobras são feitas sem esforço graças à direção com assistência elétrica de série em todas as versões e ficam mais fáceis ainda quando o carro está equipado com sensores de estacionamento e câmera de ré (disponíveis opcionalmente no Kit Parking, por R$ 1,2 mil).

Em movimento, como não poderia deixar de ser, cada versão mostrou personalidade própria. A HGT 1.8 mostrou sua orientação ao desempenho, mas a Drive 1.3 surpreendeu pela boa agilidade.

HGT 1.8 anda bem e tem visual caprichado

A versão HGT chama atenção pelo visual esportivo, especialmente se for na cor azul Portofino, como a unidade que testamos. Definitivamente, o carro chamava atenção por onde passava, seja por ser novidade, seja pelo tom extravagante do azul.

Ao contrário do que parece em fotos, a parte central do painel, vermelha, tem uma textura mais fosca que não deixa cansativo. O volante revestido em couro tem uma pega muito boa, o que ajuda no quesito prazer ao dirigir.

O torque de 19,3 kgfm a 3.750 rpm dita o ritmo do carro, que tem uma boa “puxada” mesmo a partir das rotações mais baixas. Esportivo de verdade? Calma. O hatch anda bem e até proporciona boa dose de emoção ao volante, nas não chega a ser um esportivo de alto desempenho. A versão HGT compartilha o mesmo E.torQ Evo 1.8 de 139 cv (com etanol) da Precision, sem qualquer modificação que lhe adicione mais potência ou torque. A diferença entre ambas as versões 1.8 é de estilo, apenas.

Na cidade o Argo 1.8 se mostra ágil e elástico o suficiente para fazer acelerações sem necessidade de muitas mudanças de marcha. Na estrada ganha velocidade fácil e é bastante estável nas curvas, com pouca inclinação da carroceria mesmo quando se entra mais forte. Mesmo nas versões sem controle de estabilidade, é um carro bem colado ao chão.

A condução é agradável pela boa calibragem da direção elétrica, que transmite bom controle do veículo e segurança. O câmbio é bem escalonado, mas a alavanca não é muito precisa, ainda distante dos engates bem encaixados e sem folgas que se tem num Volkswagen, por exemplo. Essa é uma das partes negativas do DNA da Fiat que o Argo herdou.

O consumo, segundo dados da marca é de 11,4 km/l (gasolina) e 7,8 km/l (etanol) na cidade e 13,3 km/l (gasolina); 9,2 km/l (etanol) na estrada. Esses números nos pareceram um tanto otimistas nesse primeiro contato que tivemos com o carro, mas vamos aguardar o recebimento de uma unidade de teste para uma melhor avaliação.

Drive 1.3 surpreende na agilidade

Muito do que dissemos acima sobre a HGT 1.8 também vale para a Drive 1.3. Apesar de ser a versão de entrada, o acabamento é bom e a lista de equipamentos de série é caprichada, incluindo direção elétrica e ar-condicionado. Fácil de manobrar e bom de dirigir, o Argo Drive mostra que ser básico não significa ser “pé de boi”.

Contudo, itens interessantes não são de série e sua inclusão pode encarecer um pouco o carro. Com preços a partir de R$ 53.900 (1.3 com câmbio manual) o Argo Drive dispõe de três pacotes de opcionais: o Kit Convenience traz retrovisores com ajuste elétrico e função tilt down, além de vidros elétricos traseiros por R$ 1.200; por R$ 1.900 o Kit Stile inclui faróis de neblina e rodas de liga leve aro 15 calçadas com pneus 185/60 R15; o Kit Parking oferece sensor de estacionamento traseiro e câmera de ré, com imagens exibidas na tela da central multimídia, por R$ 1.200. A pintura metálica ou perolizada acrescenta outros R$ 1,6 mil. Com tudo, o Argo Drive pode chegar a R$ 59.800 com cambio manual ou R$ 64,8 mil com câmbio GSR.

O que nos surpreendeu no Drive 1.3 é que o motor de 109 cv de potência e 14,2 mkgf de torque a 3.500 (etanol) dá conta do carro muito bem. No transito urbano é bastante ágil e na estrada embala bem, embora seja um pouco ruidoso quando exigido ao máximo. Desta forma, o propulsor Firefly 1.3 de quatro cilindros se mostrou bem equacionado para a proposta do hatch e essa versão deverá responder por 40% das vendas totais do Argo.

O consumo, em números oficiais da Fiat é de 9,2 km/l na cidade e 10,2 km/l na estrada se abastecido com etanol e 12,9 km/l e 14,3 km/l com gasolina.

Ah, o GSR…

A nova atualização do cambio automatizado deixou a transmissão mais eficiente, com funcionamento mais suave e com menos solavancos, especialmente depois que você pega o jeito de dirigir o carro.

Mas isso não significa que ela tenha a eficiência de um automático “de verdade”: os solavancos diminuíram mais ainda estão lá, as mudanças no modo manual são lentas e algumas funções, como a “creeping” (que mantem uma aceleração mínima assim que se tira o pé do freio para facilitar as arrancadas), tem um funcionamento longe de ser impecável.

Conclusão

O Fiat Argo é nitidamente mais sofisticado que os outros modelos produzidos pela Fiat em Betim (MG) e também possui mais refinamentos (e na média é mais bem equipado) que seus principais concorrentes, como o Chevrolet Onix e o Hyundai HB20. Isso ajuda a justificar o preço um pouco mais alto.

Dentro da própria Fiat, não deixará ninguém com saudades do Punto, tampouco das versões top do Palio. O mesmo pode não acontecer com os órfãos do Bravo, pois o Argo, definitivamente, não é um hatch médio, embora seja bem espaçoso. Porém, com a penúria que o segmento dos hatches médios vive (perdendo espaço a cada dia para os SUVs compactos) haverá pouca gente para reclamar.

Fichas Técnicas

Argo Drive 1.3

Motor: bicombustível (etanol/gasolina) transversal, 1.332 cm3, 4 cilindros em linha, 2 válvulas por cilindro, 109 cv a 6.250 rpm e 14,2 mkgf a 3.500 (etanol), 101 cv a 6.000 rpm e 13,7 mkgf a 3.500 rpm (gasolina).
Câmbio: manual, 5 marchas / automatizado, 5 marchas. Tração dianteira
Suspensão: McPherson (dianteira), eixo de torção (traseira)
Freios: discos (dianteira), tambor (traseira)
Direção: pinhão e cremalheira com assistência elétrica
Rodas e pneus: aço, 175/65 R14 (série), liga leve, 185/60 R15 (opcional)
Dimensões: comprimento, 399 cm; altura, 150 cm; largura, 172 cm; entre-eixos, 252 cm; peso, 1.140 kg; tanque, 48 litros.

Argo HGT 1.8

Motor: bicombustível (etanol/gasolina) transversal, 1.747 cm3, 4 cilindros em linha, 4 válvulas por cilindro, 139 cv a 5.750 rpm e 19,3 mkgf a 3.750 (etanol), 135 cv a 5.750 rpm e 18,8 mkgf a 3.750 rpm (gasolina).
Câmbio: manual, 5 marchas / automático, 6 marchas. Tração dianteira
Suspensão: McPherson (dianteira), eixo de torção (traseira)
Freios: discos (dianteira), tambor (traseira)
Direção: pinhão e cremalheira com assistência elétrica
Rodas e pneus: liga leve, 195/55 R16
Dimensões: comprimento, 399 cm; altura, 150 cm; largura, 172 cm; entre-eixos, 252 cm; peso, 1.140 kg; tanque, 48 litros.

Preços e versões

Fiat Argo Drive 1.0 – R$ 46.800
Fiat Argo Drive 1.3 – R$ 53.900
Fiat Argo Drive 1.3 GSR – R$ 58.900
Fiat Argo Precision 1.8 – R$ 61.800
Fiat Argo Precision 1.8 Automático – R$ 67.800
Fiat Argo HGT 1.8 – R$ 64.600
Fiat Argo HGT 1.8 Automático – R$ 70.600
Fiat Argo Opening Edition Mopar – valor não informado  (série especial)

Fiat Argo Drive 1.0 – R$ 46.800

A versão de entrada vem equipada com o motor Firefly 1.0 de três cilindros (77 cv de potência e 10,9 kgfm de torque), com transmissão manual de cinco marchas. No pacote de itens de série, destaque para direção elétrica progressiva, ar-condicionado, display de alta resolução no quadro de instrumentos, banco do motorista com ajuste de altura, cintos de segurança retráteis de três pontos para todos os ocupantes, sistema Start&Stop, ISOFIX, travas elétricas e vidros dianteiros com acionamento elétrico.

Fiat Argo Drive 1.3 – R$ 53.900

Traz o motor Firefly 1.3 com potência de 109 cv e torque de 14,2 kgfm, acoplado a transmissão manual de cinco marchas. Adiciona à versão 1.0 sistema de monitoramento da pressão dos pneus, central multimídia de 7 polegadas, com tela sensível ao toque, de alta definição, e compatível com os sistemas Apple CarPlay e Android Auto (esse item exclusivo é de série a partir desta versão), volante com comandos do rádio e telefone e 2ª porta USB para o passageiro traseiro.

Fiat Argo Drive 1.3 GSR – R$ 58.900

Traz transmissão automatizada de cinco marchas GSR (Gear Smart Ride) Comfort e conta também com Controle de Tração (TC), Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC) e sistema Hill-Holder, que evita que o carro se mova em breves paradas com inclinação. No console central, cinco botões permitem fácil acionamento, incluindo função Sport, que aciona um modo de condução mais esportivo. Por meio de paddle shifts no volante, o motorista pode trocar as marchas manualmente. O sistema conta ainda com a função Auto-Up Shift Abort, que ajuda a proporcionar retomadas mais vigorosas. Além disso tudo, conta ainda com ambient lights, que deixa o ambiente interno do veículo mais requintado, controle de velocidade de cruzeiro, apoia braço para o motorista, vidro elétrico traseiro e retrovisores externos elétricos com função tilt down e repetidores laterais, a mais que a versão Drive 1.3 manual.

Fiat Argo Precision 1.8 – R$ 61.800

Esta versão conta com motor E.torQ 1.8 16V Evo VIS, que atinge potência de 139 cv e 19,3 kgfm de torque (maiores valores para a categoria), acoplado à transmissão manual de cinco marchas. Na lista de itens de série, inclui sistema de alarme antifurto, faróis de neblina, faróis com luz de posição a LED, rodas de liga leve com aro 15 e banco traseiro bi-partido 60/40.

Fiat Argo Precision 1.8 AT6 – R$ 67.800

A versão acrescenta câmbio automático de seis marchas, com possibilidade de trocas por paddle shifts junto ao volante. Inclui tabém controle de velocidade de cruzeiro, apoio de braço para o motorista, volante revestido em couro e ambient lights.

Fiat Argo HGT 1.8 – R$ 64.600

A versão esportiva da gama traz visual esportivo e vem equipada com motor E.torQ 1.8 Evo VIS de 139 cv, combinado ao câmbio manual de cinco marchas. Oferece itens exclusivos, como o display multicolorido de 7 polegadas de alta definição e personalizável no quadro de instrumentos. Externamente ele se diferencia por grade dianteira inferior com acabamento vermelho, spoilers no para-choque, moldura preta na parte inferior da lateral e nas caixas de roda, ponteira de escapamento trapezoidal cromada, rodas de liga leve aro 16 e uma calibração de suspenção mais esportiva. Por dentro também há detalhes exclusivos, como o revestimento vermelho na parte central do painel. Também traz como diferencial uma calibração de suspensão e controle de estabilidade voltado para uma condução mais esportiva.

Fiat Argo HGT 1.8 AT6 – R$ 70.600

Agrega o câmbio automático de seis marchas e, a exemplo das demais versões equipadas com câmbio automático, possibilita trocas pelos paddle shifts junto ao volante, além do conforto do controle de velocidade e do apoio de braço para o motorista.

Série especial Opening Edition Mopar

Baseada na versão HGT 1.8 AT6, essa série limitada a 1000 unidades traz um conjunto de acessórios Mopar, montados no Custom Shop da fábrica de Betim. Disponível apenas na cor azul Portofino, ele vem com teto e retrovisores externos pintados de preto, e com um elegante aerofólio na tampa traseira, também na cor preta. Entre os acessórios Mopar, destaque para rodas de alumínio escurecidas (aro 16), protetor de soleira das portas, tapetes de borracha e carpete, kit de alto-falantes de alta performance com 60 W e o badge “Mopar” nas colunas traseiras. Além disso, o Opening Edition Mopar vem com a conveniência do Mopar Vehicle Protection (MVP), com as três primeiras revisões inclusas.

Source

Related posts

Leave a Comment