You are here

Empresários congratulam-se com saída do Estado do sector empresarial

O ministro da Economia e Planeamento de Angola, Pedro Luís da Fonseca,anunciouna segunda-feira, 12, em Luanda, que a actividade económica e produtiva fica agora reservada ao sector empresarial privado, passando o Estado a limitar-se à promoção do crescimento da economia.

Num encontro com empresários, que visou a apresentação do Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (Prodesi), Pedro Luís da Fonseca reconheceu ser “desfavorável” para o Estado concorrer com o sector privado.

Entretanto, o empresário e líder da Associação Industrial de Angla (AIA), José Severino, defende a descentralização e a livre iniciativa económica deixando que tudo se decida a partir de Luanda.

Por seu turno, a empresária Filomena Oliveira chamou a atenção para o facto de o Estado continuar a criar projectos para o desenvolvimento económico do país sem uma prévia consulta aos empresários e sem uma análise auto-crítica sobre o desempenho dos programas anteriores.

O ministro de Economia reiterou que o Estado compromete-se a “melhorar o ambiente de negócios, Incentivar o investimento, consolidar as infra-estruturas físicas, reforçar o capital organizativo e digital de Angola, bem como qualificar os recursos humanos, promover o estabelecimento de parcerias estratégica se aproveitar experiência de países bem sucedidos”.

O Governo promete dinamizar os polos de desenvolvimento industrial de Viana e Bom Jesus, em Luanda,do Lucala, no Kuanza Norte, do Negage no Uíge,da Caála, Huambo, e os de Catumbela e Futila, localizados Benguela e Cabinda, respectivamente.

Source

Related posts