You are here

Dficit maior em 2017 e 2018 dificulta ajuste – Economia

Braslia, 13 – A ampliao do rombo previsto para 2017 e 2018 tornar ainda mais difcil a tarefa do governo de pr as contas no azul j em 2020, como tem prometido a rea econmica. Analistas apontam que a lenta recuperao da arrecadao e o crescimento de gastos obrigatrios, sobretudo com a Previdncia, continuaro a pressionar as contas, e medidas como adiar o reajuste de servidores do Executivo vo deixar uma herana maldita para o prximo governo.

Para fechar as contas do ano que vem, o governo vai propor transferir os aumentos que seriam dados no incio de 2018 para janeiro de 2019. A economia esperada de cerca de R$ 9 bilhes, mas economistas veem s um adiamento do problema.

No adianta apenas empurrar despesas para os anos seguintes. At porque o prximo governo ter de conviver com essa herana e obedecer um teto de gastos que comear a ficar mais restritivo, diz Fbio Klein, da Tendncias.

Em meio ao desgaste de mudana na meta, a equipe econmica busca dar sinais de que a trajetria fiscal vai melhorar a partir de 2019, com a virada das contas para o azul j no ano seguinte. Segundo apurou o jornal O Estado de S. Paulo e o Broadcast (servio de notcias em tempo real do Grupo Estado), a determinao manter as estimativas das contas pblicas para esse perodo, com a diferena entre receitas e despesas ainda negativa em R$ 65 bilhes em 2019 e j positiva em R$ 10 bilhes em 2020.

O objetivo mostrar compromisso com o ajuste fiscal e evitar uma exploso da dvida pblica. Para cumprir esses resultados, porm, o governo tem transmitido a mensagem de que imprescindvel a aprovao da reforma da Previdncia.

A avaliao da equipe econmica de que a piora das metas de 2017 e 2018 no compromete a trajetria do ajuste fiscal. Mas economistas discordam e avaliam que a volta das contas para o azul vir mais tarde. Klein considera que apenas em 2021 o governo ter condies de entregar supervit primrio (resultado positivo entre receitas menos despesas sem contar o pagamento dos juros da dvida). Seria o primeiro desde 2013. As informaes so do jornal O Estado de S. Paulo.

(Idiana Tomazelli e Eduardo Rodrigues)

Source

Related posts

Leave a Comment