You are here

Cruzeiro inicia política pré-Libertadores e defende um dos maiores tabus no interior | cruzeiro

Foi dada largada. Pouco mais de um mês antes da data da estreia da Libertadores, o Cruzeiro começa a política de rotação do seu grupo, neste sábado, contra a Caldense, na segunda rodada do Campeonato Mineiro. O adversário, dentre os representantes do interior e que participam da Série A do Mineiro, é um dos times que mais a Raposa enfrentou na história e está entre aqueles que há mais tempo não vence a Raposa.

Até a partida contra o Racing, dia 27, na Argentina, Mano Menezes deverá realizar outras vezes este tipo de medida que irá iniciar contra a Caldense. Para o Sul de Minas, o titular Ariel Cabral nem sequer viajou. Segundo o treinador, outros três jogadores titulares deverão iniciar a partida do banco.

A medida visa dar ritmo de jogo aos atletas e também, ao mesmo tempo, poupá-los da maratona que o Cruzeiro e os outros clubes passarão neste início de temporada. Só em janeiro serão quatro partidas em 13 dias, contando ainda com as viagens para o interior. Para Poços de Caldas, por exemplo, a Raposa teve de ir de avião até Ribeirão Preto e seguir de ônibus do interior paulista para a cidade do Sul de Minas, logística considerada a melhor para chegar até lá.

A Caldense, que venceu o Democrata GV na estreia, é um dos adversários mais tradicionais entre aqueles que disputam a elite do Campeonato Mineiro. São 76 partidas disputadas, com 51 vitórias, 19 empates e apenas seis derrotas do Cruzeiro. São 150 gols marcados e 44 sofridos. Dos adversários do interior, a Caldense só não enfrentou mais a Raposa que o Uberlândia (95 partidas) e o Villa Nova (240 jogos).

Além disso, a Veterana está entre aqueles que há mais tempo não vence o Cruzeiro. A última vez que o Cruzeiro perdeu foi em 2004, quando levou 1 a 0 no estádio Ronaldo Junqueira, gol do atacante Milton. Só Villa Nova (última vitória em 1998) e Uberlândia (última triunfo em 2001), além de URT e Patrocinense que não derrotaram a Raposa, tem jejum maior.

Mas o técnico Mano Menezes não espera facilidade. Ele comentou que, assim como o Cruzeiro também fará modificações para a partida, a Caldense também poderá fazer mudanças para o confronto em Poços de Caldas.

– Nós temos um jogo oficial, claro que é muito melhor que não ter nenhum. Mas as equipes podem sofrer alterações na primeira rodada. Assim como nós estamos procurando formação, rodando o elenco. As outras equipes também tem suas preocupações, objetivos e dificuldades. E também nunca se sabe do que se passa na cabeça do técnico de lá. Ele pode pensar uma forma diferente. Já temos um jogo, um pouco mais informação da característica do jogo oficial.

Mesmo levando o restante dos titulares, Mano Menezes deverá fazer também modificações no miolo de zaga, poupando Léo ou Murilo, muito provavelmente o segundo. No meio de campo, Bruno Silva deverá ganhar uma chance na equipe. Mas Lucas Silva também tem chances. Na meia ofensiva, Thiago Neves deverá ser titular e entrar na vaga de Arrascaeta ou Rafinha.

Source

Related posts