You are here

Com Gabriel Jesus em campo, Manchester City passa por cima do Real Madrid

Diante de 93.098 mil torcedores, o Manchester City não tomou conhecimento do Real Madrid no Los Angeles Coliseum, lendário estádio norte-americano, no início da madrugada dessa quinta-feira (horário de Brasília) pela Copa dos Campeões Internacionais, competição de pré-temporada disputada nos Estados Unidos. Apesar de Gabriel Jesus não ter balançado as redes mesmo depois de fazer um bom jogo, a equipe de Guardiola aplicou uma goleada por 4 a 1 em cima do atual campeão da Liga dos Campeões da Europa, que segue sem sua principal estrela, Cristiano Ronaldo, ainda de férias por ter atuado na Copa das Confederações pela seleção portuguesa.

Com Ederson, Danilo e Gabriel Jesus entre os titulares do Manchester City e Marcelo e Casemiro iniciando pelo Real Madrid, o clássico internacional teve grandes estrelas em campo, mas um primeiro tempo apenas morno.

As duas equipes, em clara ascensão física ainda, demostraram fragilidades e até uma certa lentidão nos primeiros minutos. Mesmo assim, Gabriel Jesus fazia bem sua parte e atormentava a defesa madrilenha com boa movimentação. Em uma das poucas oportunidades que teve, o camisa 33 parou em Navas.

O goleiro costa-riquenho, aliás, brilhou quando Aguero recebeu bola dentro da área, pela direita. O argentino finalizou com força e Navas fez linda defesa, com puro reflexo.

A resposta do atual campeão europeu veio com Casemiro, que subiu mais alto que toda a defesa inglesa e testou a bola na trave. Por pouco o ex-jogador do São Paulo não abriu o placar em Los Angeles.

Apesar dos lances esporádicos, o primeiro tempo acabou mesmo sem gols. Depois de um intervalo de quase 20 minutos, as equipes voltaram a campo com poucas modificações. Guardiola sacou Kompany, Foden e Aguero para apostar em Mangala, Nasri e Sterling. Já Zidane substituiu apenas o goleiro. Kiko Casilla entrou no lugar de Keylor Navas.

Saiba mais:

Jornal crava Neymar no PSG

Zé Ricardo elogia Muralha

Felipe Melo detona árbitro

Talvez o que ninguém se esperava fosse um banho de bola do Manchester City na segunda etapa. Tudo começou após escanteio cobrado da direita. Stones cabeceou para boa defesa de Casilla, mas Otamendi não desperdiçou o rebote e abriu o placar.

O gol animou o time inglês, que passou propor as ações do jogo por meio do velho estilo Guardiola, com muito toque de bola curto, envolvendo o adversário.

Assim, o City sobrou. Sterling ampliou a vantagem pouco depois de perder uma oportunidade cara a cara com o goleiro do Real Madrid.

Zidane, então, resolveu trocar todo mundo. Marcelo, Modric, Casemiro, Isco, Kovacic e Bale saíram para as entradas de Óscar, Lucas vázquez, Theo Hernández, Dani Ceballos, Marcos Llorente, Hakimi. O panorama, no entanto, só piorou.

Kevin De Bruyne acertou a trave em cobrança de falta e, na sequência da jogada, o zagueirão Stones ampliou. Vallejo ainda teve uma chance de ouro para diminuir, mas perdeu embaixo do travessão. Daí para frente, foi a vez de Guardiola rodar seu elenco colocando Brahim Diaz, Duhaney, Zinchenko, Sané, Grimshaw, Adarabioyo e Sané nos lugares de Gabriel Jesus, De Bruyne, Walker, Yaya Touré, Ederson, Otamendi e Danilo.

Umas das postas do técnico espanhol, Sané, acertou a trave mais uma vez assim que pisou no gramado. Mas a vitória se transformou em goleada mesmo quando Díaz arriscou de fora da área e marcou um golaço.

O Real Madrid até descontou com Óscar Rodríguez pouco antes do apito final em outro belo gol de longe, mas nada que apagasse a brilhante atuação do Manchester City sobre o atual campeão da Liga dos Campeões da Europa.

Source

Related posts

Leave a Comment