You are here

Carille ou quatro técnicos? Manutenção faz diferença em Corinthians x Vitória | brasileirão série a

Técnico do Timão ganhou título, é líder e deve ter contrato renovado. Do outro lado, Mancini é o quarto a tentar tirar Leão da zona da degola

As posições de Corinthians e Vitória na tabela do Campeonato Brasileiro passam pela postura dos clubes na manutenção (ou não) do comando técnico em 2017.

Os rivais se enfrentam neste sábado, às 16h (de Brasília), em Itaquera, com objetivos bem distintos. O Corinthians, com 47 pontos, é líder absoluto e tenta ampliar sua vantagem sobre os rivais – hoje, o mais próximo é o Grêmio, oito pontos atrás. O Vitória, com 19 pontos, é vice-lanterna e só quer se manter na elite.

Coincidência ou não, o Corinthians investiu no trabalho do técnico Fábio Carille desde o início da temporada. O Vitória, por outro lado, está com seu quarto técnico só no Brasileirão. Vagner Mancini é o nome da vez para tentar tirar os baianos da zona de rebaixamento.

Em oito meses, Fábio Carille deixou de ser auxiliar para se tornar um dos técnicos mais promissores do Brasil. A valorização é notória. Depois do título paulista e da campanha histórica no primeiro turno do Brasileiro, o técnico deve renovar contrato com o Timão ao fim da temporada.

Carille ainda é registrado no regime CLT e tem contrato sem prazo determinado. A diretoria alvinegra pretende oferecer novo vínculo ao comandante antes do fim do Brasileirão – independentemente de o Corinthians confirmar ou não o título.

Fábio Carille quer continuidade no Timão: técnico é bem conceituado no clube (Foto: Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians)Fábio Carille quer continuidade no Timão: técnico é bem conceituado no clube (Foto: Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians)

Fábio Carille quer continuidade no Timão: técnico é bem conceituado no clube (Foto: Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians)

A visão do técnico também é de continuidade. Em junho, recusou sondagem do futebol chinês. Hoje, dá até palestras em cursos da CBF e recebe no CT Joaquim Grava, periodicamente, treinadores novatos que querem entender um pouco dos métodos dos seus métodos. Nos últimos dias, o ex-atacante Guilherme e o ex-volante Maldonado, por exemplo, seguiram os passos do corintiano.

Efetivado no cargo em dezembro passado, o técnico do Timão venceu a desconfiança, montou um time sólido, organizado e ganhou o campeonato estadual. Depois, com a mesma estrutura, fez do Corinthians a equipe a ser batida no Brasil. Atualmente, são 34 jogos de invencibilidade – a segunda maior da história do clube, que ficou 37 jogos sem perder em 1957.

– Fizemos um primeiro turno maravilhoso, mas se queremos algo a mais temos de confirmar. Se não fizer 47 pontos, tem que fazer algo que nos mantenha. A gente acreditava que ninguém ia disparar e nós disparamos. Temos de pensar mesmo jogo a jogo – disse Carille, repetindo o mantra que adotou desde sua chegada ao cargo.

A disputa pelo poder e o cenário político conturbado afetaram diretamente a gestão de futebol do Vitória em 2017. Tratado publicamente como plano B, Argel Fucks teve o contrato renovado e iniciou a temporada, mas atuações ruins e a eliminação nas semifinais da Copa do Nordeste custaram o cargo do treinador. Contratado como gerente, Dejan Petkovic acabou convencido a acumular funções como manager.

Foram quatro técnicos só no Brasileirão:

  • Petkovic (4 jogos);
  • Alexandre Gallo (11 jogos);
  • Flávio Tanajura (interino, 1 jogo);
  • Vagner Mancini (4 jogos).

Pet comandou o time somente a 1ª à 4ª rodadas do Campeonato Brasileiro. O desempenho não foi bom, mas o sérvio não deixou o clube. Insegura e bombardeada por críticas de torcedores e da oposição, a diretoria do Vitória aproveitou o pedido de demissão de Sinval Vieira e apostou no know-how do sérvio para alça-lo ao posto de diretor de futebol. Na entrevista coletiva concedida após a derrota para o Fluminense, Petkovic anunciou Alexandre Gallo como novo técnico.

Vagner Mancini tem missão de livrar o Vitória do rebaixamento (Foto: Thiago Pereira)Vagner Mancini tem missão de livrar o Vitória do rebaixamento (Foto: Thiago Pereira)

Vagner Mancini tem missão de livrar o Vitória do rebaixamento (Foto: Thiago Pereira)

Gallo não teve vida fácil na Toca do Leão. Em 11 partidas, acumulou um aproveitamento de 33%. A derrota para o Grêmio, em casa, foi o fim da linha para o treinador – e também para o presidente do clube, Ivã de Almeida, que decidiu pedir licença não remunerada. O vice-presidente Agenor Gordilho assumiu o controle do Vitória e optou por mudar toda a estrutura rubro-negra.

Petkovic deixou o cargo de diretor de futebol, substituído por Cleber Giglio. Velho conhecido, com quatro passagens pela Toca do Leão, Vagner Mancini foi contratado como “bote salva vidas”. Em entrevista recente ao GloboEsporte.com, o treinador, demitido na temporada passada por não conseguir tirar o time do Z-4, comentou o retorno.

– O futebol não é coerente. O futebol te mostra, a cada dia, que você tem que estar centrado naquilo que você faz, ter as suas convicções, e fazer o trabalho. Porque o técnico de futebol é avaliado por diferentes eixos da sociedade de formas distintas. Não tem como você achar que, no futebol, dois mais dois são quatro. Porque, se lá atrás eu fui demitido por pressão de uma diretoria que tomou posse e que me contratou, então não dá para entender. Mas eu estou alheio a isso tudo, estou acima disso tudo, assim como os atletas – disse o treinador.

Source

Related posts

Leave a Comment