You are here

Botafogo usou Ilha sem licença em 2016; Prefeitura envia registro ao Fla nesta sexta | futebol / brasileirão série a

Alvinegro ignorou regra de “construção e acréscimo”. Flamengo fez pedido quatro meses após início de intervenção. Caso gera novo atrito entre dirigentes nas redes sociais

Com aprovação para usar o estádio, do Crea-RJ, do Corpo de Bombeiros, do Gepe e Vigilância Sanitária em 13 partidas no ano passado, a obra do Botafogo no estádio da Portuguesa não passou pela Prefeitura do Rio de Janeiro. Até a entrega do campo de volta ao time da Ilha do Governador, o Alvinegro usou o palco para jogos oficiais sem licença de obras, revelou o blog do jornalista Mauro Cezar Pereira, da Espn Brasil.

No período, o campo do Botafogo recebeu nove mil pessoas em média – aproximadamente 117 mil, conforme levantamento do jornalista. A Prefeitura, através da Secretaria de Urbanismo, Infraestrutura e Habilitação, informou que o procedimento é irregular. Para realizar obras de construção, reforma e acréscimo, o Alvinegro deveria ter entrado com processo de regularização na Prefeitura.

O Botafogo não quis comentar a informação ao GloboEsporte.com. Ao blog de Mauro Cezar, o presidente Carlos Eduardo Pereira respondeu o seguinte: “O Botafogo tirou todas as licenças e laudos necessários para plena utilização da Arena Botafogo em 2016. Não tenho como falar sobre os registros da Prefeitura”.

A revelação virou motivo de mais um atrito nas redes sociais entre as diretorias. O vice-presidente de comunicação Márcio Padilha se manifestou pelas redes sociais. Do lado do Flamengo, o vice-presidente de administração e de gabinete da presidência, Rafael Strauch, ironizou e lembrou frase antiga de Carlos Eduardo Pereira, quando o Alvinegro tripudiou o atraso das obras.

– Quem sabe faz, quem não sabe… – escreveu Strauch, que questionou, em outra mensagem, como os alvinegros “conseguiram autorização” para atuar no estádio.

Vice-presidente de comunicação do Botafogo respondeu por Twitter (Foto: Reprodução)Vice-presidente de comunicação do Botafogo respondeu por Twitter (Foto: Reprodução)

Vice-presidente de comunicação do Botafogo respondeu por Twitter (Foto: Reprodução)

Vice-presidente do Flamengo ironizou os alvinegros (Foto: Reprodução)Vice-presidente do Flamengo ironizou os alvinegros (Foto: Reprodução)

Vice-presidente do Flamengo ironizou os alvinegros (Foto: Reprodução)

Licença do Fla ainda será entregue

O Flamengo deu entrada no pedido de licença de obra no dia 26 de abril, quatro meses após o início das obras, com a estrutura já praticamente pronta e em processo de vistorias e visitas de órgãos públicos municipais. O clube da Gávea queria inaugurar o estádio contra o Botafogo neste fim de semana, mas esbarrou nos entraves burocráticos, entre processos do Corpo de Bombeiros e do Gepe. A partida será domingo, às 11h, em Volta Redonda.

O GloboEsporte.com questionou a Prefeitura sobre o processo regular para construção do tipo, como a que Botafogo e Flamengo fizeram. O ideal, informou a Prefeitura, era que o Rubro-Negro entrasse com pedido de licença de obras antes de iniciar a construção do estádio. Após solicitação da licença de obras, a Prefeitura fez algumas exigências já atendidas pelo Flamengo. A expectativa é de que nesta sexta-feira, junto à possível visita do prefeito Marcelo Crivella com a diretoria do Flamengo, o clube, enfim, receba a licença da Secretaria da Prefeitura. O estádio já está liberado para receber partidas, mas a documentação para o jogo do fim de semana foi entregue fora do prazo regular determinado pela CBF.

A prefeitura do Rio lembrou que não é possível fiscalizar todas obras privadas e informou que “o processo de licenciamento de obra pedido pelo Flamengo transcorreu dentro dos trâmites legais.” A licença da Prefeitura prevê pagamento de taxas (Documento de Arrecadação Municipal), declaração do profissional responsável pela obra e pelo projeto de arquitetura, além de registro de “declaração de rios e canais”. Apesar da irregularidade, nem a Prefeitura – que deixou de receber taxas do Alvinegro – nem o Flamengo disseram que vão acionar judicialmente o Botafogo ou a Portuguesa, proprietária do estádio na Ilha do Governador. Nem a Portuguesa nem o Crea-RJ retornaram os contatos do GloboEsporte.com.

Botafogo levou 78 dias para estrear na Ilha; Torcedores comparam estruturas

Se o Flamengo pena para conseguir a aprovação do estádio para realização de jogos, o Botafogo conseguiu apresentar o projeto e fazer a primeira partida em menos de três meses. Mais precisamente em 78 dias. O Alvinegro obteve os laudos de liberação finais no dia 24 de abril. Antes da estreia oficial, justamente contra o Flamengo – dia 16 de julho (empate por 3 a 3), o Botafogo sub-20 enfrentou o Grêmio na Ilha do Governador. Pela Série D, a Portuguesa jogou contra o São Bento, do interior de São Paulo.

Em resposta ao GloboEsporte.com, o Corpo de Bombeiros informou que os projetos dos dois clubes são distintos, por isso não cabia comparação. “No caso do Flamengo, por exemplo, o clube apresentou, hoje (30.05), o novo projeto de segurança contra incêndio e pânico com as complementações necessárias, conforme legislação vigente. Logo, não houve atraso em relação ao Corpo de Bombeiros.”

Nas redes sociais, torcedores do Flamengo questionaram a liberação do Botafogo e as dificuldades encontradas pelo time da Gávea. O site “Coluna do Flamengo” fez montagem comparando as duas estruturas da Ilha do Governador.

Trecho de obra provisória do Botafogo; à direita, do Flamengo (Foto: Coluna do Flamengo)Trecho de obra provisória do Botafogo; à direita, do Flamengo (Foto: Coluna do Flamengo)

Trecho de obra provisória do Botafogo; à direita, do Flamengo (Foto: Coluna do Flamengo)

Entrada de torcedores na comparação das duas fotos (Foto: Coluna do Flamengo)Entrada de torcedores na comparação das duas fotos (Foto: Coluna do Flamengo)

Entrada de torcedores na comparação das duas fotos (Foto: Coluna do Flamengo)

Source

Related posts

Leave a Comment