You are here

Barroso pode estar preparando o bote contra Temer

Por Fernando Brito, editor do Tijolaço A reportagem da Veja deste final de semana sobre os “achados” com a quebra do sigilo de telefonia e dados do coronel João Batista Lima, “faz-tudo’ de Michel Temer mostra que a briga do ocupante do Planalto com o ministro Luiz Roberto Barroso nada tem a ver com o fato deste último, usurpando o que a Constituição diz ser o indulto uma prerrogativa do Presidente da República ter “recortado” o decreto presidencial que autorizava a libertação de presos.

É que se acumulam, revela o texto de Hugo Marques e Daniel Pereira, os indícios de financiamento de empresas portuárias a Temer e a Eduardo Cunha, com a participação do indicado do então vice-presidente para a Secretaria dos Portos, Edinho Araújo, cuja demissão por Dilma Rousseff foi chorada por na famosa “cartinha da traição” pelo autodenominado “vice decorativo”.

Um emenda de Eduardo Cunha à medida provisória dos portos, que proibia empresas devedoras da União de terem prorrogadas concessões de áreas portuária, passou a exigir apena que estes débitos estivessem em arbitragem – e portanto, nem mesmo reconhecidos. Uma delas, a Libra, teria dado R$ 1 milhão a Michel Temer como contrapartida e, com os bons serviços do coronel Lima e de Edinho Araújo tornou-se a única a receber a benesse enxertada por Eduardo Cunha na MP.

São crimes que, em tese, teriam sido cometidos antes de temer assumisse cargo de Presidente e, por isso, estariam fora do alcance da Justiça enquanto ele ocupasse o Planalto. Mas um decreto que concedia outros benefícios a empresa portuária  de boas e velhas relações com Temer já foi assinado por ele. E, portanto, abre uma dupla via para Barroso, que já deixou a posição de magistrado para ocupar o vácuo vaidoso de Rodrigo Janot.

Não é difícil, aliás, imaginar de onde vieram as informações, até com uma ação preventiva de culpar o outro lado por vazamentos.

Barroso responde ao movimento de pinça do presidente, com duas frentes aparentemente  opostas: de um lado, o pitbull Carlos Marun  ameaçando pedir o impeachment de ministro; de outro, a visita e o abraço afetuoso em Cármen Lúcia,  no domingo, na casa da presidenta do Supremo.

Eu apoio o 247

Economize em suas compras usando Cupons de Desconto

Source

Related posts