You are here

Bancários decidem fazer paralisação nesta sexta | Economia

Confederação protesta contra as reformas trabalhista e da Previdência e por eleições diretas.

Em agências bancárias no Centro do Rio, adesivos sinalizam a adesão dos bancários à paralisação (Foto: Daniel Silveira/G1)Em agências bancárias no Centro do Rio, adesivos sinalizam a adesão dos bancários à paralisação (Foto: Daniel Silveira/G1)

Em agências bancárias no Centro do Rio, adesivos sinalizam a adesão dos bancários à paralisação (Foto: Daniel Silveira/G1)

Os bancários de entidades filiadas às federações e à Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) decidiram paralisar as atividades nesta sexta-feira (30) em adesão aos protestos pelo país contra as reformas trabalhista e da Previdência, propostas pelo governo de Michel Temer, e por eleições diretas.

A expectativa da confederação é de que a paralisação tenha maior adesão do que nos protestos do dia 28 de abril.

A Comissão Executiva dos Empregados da Caixa Econômica Federal (CEE/Caixa) enviou na quinta-feira (29) um ofício à Caixa informando que os empregados também participarão da paralisação desta sexta.

“Conforme determina a Lei, estamos avisando a Caixa antecipadamente que os empregados paralisarão as atividades nesta sexta-feira e queremos que seja garantido este direito dos trabalhadores, sem que haja retaliações”, explicou o coordenador da CEE/Caixa, Dionísio Reis Siqueira.

Ainda não foi divulgada estimativa de número de agências fechadas no país.

Em São Paulo, balanço parcial do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região diz que 212 locais de trabalho, sendo 12 centros administrativos e 200 agências fecharam. “Estima-se que mais de 30 mil trabalhadores participaram das paralisações”, afirmou o sindicato.

Vale lembrar, que o fechamento de agências não afasta a obrigação de pagar em dia as contas.

Confira abaixo algumas orientações dos Procons, do Idec e da Febraban para que o consumidor não seja prejudicado durante a paralisação:

Use os caixas eletrônicos

Correntistas podem utilizar os caixas eletrônicos para agendamento e pagamento de contas (desde que não vencidas), saques, depósitos, emissão de folhas de cheques, transferências e saques de benefícios sociais. Vale lembrar que os saques noturnos são limitados a R$ 300 e que o valor para saque diurno varia dependendo da instituição. Verifique também os limites da sua conta corrente para pagamentos em caixa eletrônico.

Solicite outras opções de pagamento

É responsabilidade do fornecedor oferecer meios alternativos para que o pagamento possa ser feito. Em caso de dificuldade, entre em contato com a empresa credora e solicite outras opções para efetuar o pagamento, como internet, sede da empresa, casas lotéricas ou código de barras para pagamento nos caixas eletrônicos.

Fale com o SAC do seu banco

Entre em contato com o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) do banco e pergunte se há alguma outra agência próxima operando que possa atendê-lo. Algumas operações, como pagamentos de contas e transferências podem ser feitas, também, pelo telefone.

Documente suas solicitações

O consumidor deve documentar os pedidos de opções alternativas para quitar o débito, enviando um e-mail ou anotando o número de protocolo de atendimento, por exemplo, pois caso o fornecedor não disponibilize opções, poderá reclamar junto a um órgão de defesa do consumidor.

Locais de pagamento alternativos

Algumas redes de supermercados e casas lotéricas recebem o pagamento de boletos de concessionárias de serviços públicos, como água, luz, gás e telefone.

Rede alternativa à da Caixa

Embora para alguns serviços seja necessário buscar o atendimento diretamente em uma agência, como saques de FGTS acima de R$ 1,5 mil, a Caixa informa que conta com extensa rede de atendimento alternativo pelo país, incluindo lotéricas e correspondentes e lojas da rede “Caixa Aqui”, que também pagam benefícios sociais como Bolsa Família, Seguro-Desemprego e FGTS, entre outros serviços.

Source

Related posts

Leave a Comment