You are here

Atriz revela abuso sexual de coordenador de dublês de ‘True Lies’ quando tinha 12 anos

Mais uma revelação de abuso sexual mostra o quão grave é a situação referente ao tema em Hollywood. A atriz Eliza Dushku revelou ter sido molestada no set de gravações de “True Lies” quando tinha 12 anos de idade. O responsável seria o coordenador de dublês, Joel Kramer. A revelação foi feita em um post da própria vítima no Facebook. As informações são do site Indiewire.

Eliza trabalhou no sucesso de James Cameron como a filha dos personagens de Arnold Schwarzenegger e Jamie Lee Curtis. Na época, Joel Kramer tinha 36 anos, ou seja, o triplo da idade da vítima. Em uma postagem no Facebook, a atriz relatou o caso ocorrido há 25 anos.

“Eu me lembro como Joel Kramer me fez sentir especial, como ele metodicamente construiu a minha confiança e a dos meus pais por meses; exatamente como ele me atraiu para o seu quarto de hotel ao prometer para os meus pais que me levaria para nadar na piscina com o restante do elenco. Lembro vividamente como ele metodicamente diminuiu as luzes; como ele deixou o ar-condicionado em uma temperatura congelante; como ele desapareceu no banheiro e depois voltou nu, usando apenas uma toalha de rosto na frente. Lembro-me de como ele me deitou na cama e me prendeu com seu corpo gigantesco, e começou a se esfregar em mim”, lembrou.

A atriz afirmou que uma colega de trabalho foi até Kramer protestar contra o abuso. Dias depois, Eliza quebrou costelas em um acidente de filmagem. “Para deixar claro, Joel Kramer era o responsável pela minha segurança no filme, que na época foi um marco no cinema de ação. Diariamente, ele pendurava o meu corpo de 12 anos em fios. Minha vida estava literalmente em suas mãos: ele me erguia ao ar livre, em uma torre ou no topo de um prédio. Para quem deveria ser o meu protetor, ele era meu abusador”, declarou.

James Cameron demonstrou solidariedade com Eliza ao considerar a postura da atriz como corajosa. O cineasta afirmou que não soube do fato na época e lamentou o ocorrido. “Se soubesse, não teria tido a menor misericórdia. Tenho três filhas. Esse tipo de atitude não merece perdão”, declarou.

Acusado nega o crime

Escutado pela imprensa americano, Joel Kramer negou veementemente ter cometido o crime de abuso sexual contra Eliza Dushku. “Uau, isso é novidade para mim. Eu nunca abusei sexualmente dela. Ela é uma garota doce. Todos tomávamos conta dela. É surpreendente. Estou chocado”, afirmou.

“São completas mentiras. Ela disse que a levei para casa de táxi? Eu era o único que dirigia o carro e tinha quatro a cinco pessoas nele. “Eu não sei o que dizer. Nunca a levei ao meu quarto de hotel. Eu nunca tirei suas roupas”, completou.

Joel Kramer trabalha há décadas em Hollywood e, além de “True Lies”, participou das equipes de filmes como “Blade Runner 2049”, “Velozes e Furiosos 7” e “Invocação do Mal 2”.

Source

Related posts