You are here

Astrônomos amadores se reúnem para observar e fotografar o céu de Brasília | Distrito Federal

Encontro acontece neste sábado, na Praça dos Três Poderes; observação é aberta ao público. Clube de Astronomia foi fundado em 1986, na época da última passagem do cometa Halley.

Observação do céu de Brasília na Praça dos Três Poderes (Foto: Casb/Divulgação)Observação do céu de Brasília na Praça dos Três Poderes (Foto: Casb/Divulgação)

Observação do céu de Brasília na Praça dos Três Poderes (Foto: Casb/Divulgação)

Famoso, o céu de Brasília é o cenário perfeito para os amantes da fotografia espacial e para os apaixonados pela observação dos astros. “O cenário fica ainda mais inspirador em noites de lua crescente”, como a que ocorre neste sábado (1). É o que dizem os membros do Clube de Astronomia de Brasília (Casb), que se reúnem a partir das 18h, na Praça dos Três Poderes, para observar e fotografar o céu da capital federal.

O encontro deste sábado é aberto ao público e, segundo os coordenadores, não é preciso levar equipamentos, “os telescópios estão à disposição”. A previsão é de uma noite de lua crescente, com boa visibilidade.

Para Maciel Sparrenberger, servidor público e membro do clube de astronomia, a iluminação parcial da lua nesta fase permite enxergar em detalhes as crateras em sua superfície. “Não fazemos os encontros na lua cheia, porque ela está toda iluminada e não dá para ver as crateras. A lua cheia só é mais bonita a olho nu”.

“Nas luas crescente ou minguante, as crateras aparecem no limite, entre a parte iluminada pelo sol e na parte escura. São muito bonitas de ver.”

Montagem feita com a lua e planetas fotografados em Brasília (Foto: Maciel Starrenberg/Arquivo Pessoal)Montagem feita com a lua e planetas fotografados em Brasília (Foto: Maciel Starrenberg/Arquivo Pessoal)

Montagem feita com a lua e planetas fotografados em Brasília (Foto: Maciel Starrenberg/Arquivo Pessoal)

Fundado em 1986, ano da última passagem do cometa Halley pelo Sistema Solar, o Casb tem cerca de 250 membros que, além de observar, costumam se reunir também para fotografar os astros visíveis no céu de Brasília, principalmente no período da seca, quando aumenta a visibilidade.

A astrofotografia ou fotografia planetária, como é conhecido o segmento, encanta pelos resultados. De acordo com Sparrenberger, exige equipamentos específicos e uma preparação especial.

“Para fotografar planetas a gente usa uma câmera especial, que pluga no telescópio e é ligada diretamente no computador. Conseguimos resultados fantásticos que há poucos anos atrás não era possível.”

Segundo o professor do Instituto de Física da Universidade de Brasília (UnB) e doutor em Ciências Espaciais, José Leonardo Ferreira, a altitude e o relevo do Distrito Federal favorecem a boa observação e fotografia do espaço. “Esta combinação, com a baixa umidade do ar, é bastante interessante para observação astronômica”, afirma.

“Moro em Brasília há muitos anos e, no início era ainda melhor, a gente observava a Via Láctea praticamente em detalhes.”

Campo de Visão de aproximadamente 140º da Via Láctea, vista de Planaltina (DF) (Foto: Leo Caldas/Arquivo Pessoal)Campo de Visão de aproximadamente 140º da Via Láctea, vista de Planaltina (DF) (Foto: Leo Caldas/Arquivo Pessoal)

Campo de Visão de aproximadamente 140º da Via Láctea, vista de Planaltina (DF) (Foto: Leo Caldas/Arquivo Pessoal)

A astrofotografia também é a paixão do professor de Educação Física, Leo Caldas, 41 anos. Há cinco anos ele se especializou na fotografia de paisagens espaciais e mantém uma página nas redes sociais com vídeos e imagens que revelam as belezas do céu do Distrito Federal.

As imagens do céu, da lua, constelações e planetas são registradas por lentes especiais, mas o fotógrafo garante que utiliza uma câmera comum acoplada. Para o professor e fotógrafo, o “planejamento é fundamental” e algumas fotografias levam mais de uma hora para serem tiradas.

Timelapse da Lua Crescente se pondo sobre Águas Claras (DF)

Timelapse da Lua Crescente se pondo sobre Águas Claras (DF)

A geografia da capital federal também ajuda. O fotógrafo é conhecido por retratar os astros junto aos monumentos de Brasília, como uma de suas fotos, tirada da Lua e do Sol com a Torre digital ao fundo, mesmo estando a mais de 30 km de distância.

“O horizonte de Brasília é único. Com isso consigo boas fotos mesmo estando muito longe dos monumentos.”

Astronomia na Praça
Quando: sábado (1)
Horário: 18h às 21h
Participação gratuita. Não é preciso levar equipamentos.

Source

Related posts

Leave a Comment