You are here

Ashley Madison oferece compensação financeira baixa para afetados por vazamento

Os usuários afetados pelo vazamento de informações do Ashley Madison, uma rede social baseada em infidelidade, poderão receber uma compensação financeira de até US$ 3,5 mil. É o que informa a Ruby Corp, empresa que gerencia o serviço hackeado em 2015, que apresentou uma proposta de acordo para encerrar a batalha judicial que se alonga nos tribunais dos EUA e Europa, pelas mãos de diversos afetados pelo vazamento.

Em comunicado oficial, a companhia nega ter cometido erros em sua operação, que teriam levado à exposição de mais de 37 milhões de pessoas, mas assume a responsabilidade pelo caso e se oferece a dar compensações para todos os atingidos pelo vazamento. Todos os usuários que tiveram uma “perda válida” poderão pedir o pagamento de US$ 3,5 mil, com a situação sendo avaliada pelos advogados. Em alguns casos, o total pode ser menor que esse teto.

Para um caso que levou a milhares de casamentos destruídos, perdas de emprego, extorsões por criminosos e até suicídios, de acordo com as informações das autoridades europeias, parece pouco. A noção é ainda menor quando se levam em conta as minúcias desse acordo, oferecido na “ordem de chegada” dos usuários, com um montante disponível apenas para os primeiros que se prontificarem a recebê-lo.

É um procedimento comum em ações de classe dessa categoria. O que não é corriqueiro, além da sensibilidade das informações vazadas, é o baixo valor oferecido para o acerto, que é de US$ 11,2 milhões – um montante aceito pelos responsáveis pela ação. Isso garantiria que apenas seis milhões, dos 37 milhões afetados, seriam elegíveis para o pagamento total. E caso o montante fosse dividido igualmente por todos os atingidos, cada um deles receberia nada mais nada menos do que US$ 2.

No comunicado oficial, a Ruby demonstra o desejo de deixar o episódio para trás, afirmando já ter aplicado medidas de segurança adicionais em seu ambiente online. Agora, então, quer garantir que os processos judiciais não continuem, daí a oferta de um acordo financeiro que possa oferecer compensação aos afetados pelo vazamento, que envolveu nomes, fotos e informações de localização.

O mesmo parece valer também para os reclamantes, com o aceite de um valor baixo demonstrando isso. É um caso que, sem dúvida, causou perdas e muita dor, mas ainda assim o baixo montante em indenizações pode não ser adequado para compensar as perdas de muitos dos atingidos, principalmente aqueles que tiveram perdas financeiras por meio de extorsões ou finalização de contratos de trabalho.

A empresa vai além e afirma que, no momento do vazamento não havia nenhum tipo de verificação quanto à identidade das contas registradas no site. Sendo assim, além de mostrarem o dano causado pelo ataque, os usuários do Ashley Madison atingidos pelo vazamento terão de comprovar que usavam efetivamente a rede social, no que constitui uma repetição de eventos de dois anos atrás que muitos, com certeza, gostariam de esquecer.

O acordo, agora, precisa receber a anuência do júri responsável pelo caso, localizado na cidade de Toronto, no Canadá. O país é a sede da Ruby e foi o escolhido para reunir todas as ações relacionadas ao caso, movidas por diferentes usuários ao redor do mundo, de forma a facilitar o processo de defesa e também a chegada a um acordo como o anunciado agora.

Fonte: Ruby Corp. (PR Newswire)

Source

Related posts

Leave a Comment