You are here

Aes das empresas X disparam na bolsa aps pedido para sair da recuperao judicial

As ações da OGX e OGPar dispararam nesta sexta-feira (2), na B3, novo nome da bolsa paulista, após as companhias, que pertenciam ao antigo Império X, do empresário Eike Batista, pedirem o fim do processo de recuperação judicial, por terem cumprido todas as obrigações.

Os papéis da OGX ON fecharam com valorização de 34,69%, a R$ 1,32, e os da OGPar ON avançaram 55,74%, a R$ 4,75. As empresas ingressaram, junto ao juízo da 4ª Vara Empresarial da Comarca da Capital do Rio de Janeiro, com pedido de encerramento do processo de recuperação judicial.

A OGX era a principal companhia do grupo EBX e sua crise, após vir à tona que as reservas de petróleo estavam abaixo do esperado, levou o grupo à bancarrota. O atual controlador das empresas é o fundo soberano árabe Mubadala, de Abu Dabi, que também ficou com outros negócios criados pelo empresário.

Em 30 de outubro de 2013, as companhias entraram com pedido de recuperação judicial, apresentando dívidas superiores a R$ 13,8 bilhões. Seus planos foram submetidos à apreciação dos credores em junho de 2014 e aprovados pela maioria, representando mais de 90% dos créditos listados. A OGX abriu seu capital em outubro de 2010, levantando R$ 6,7 bilhões, à época considerado o maior IPO (oferta pública inicial de ações, na sigla em inglês) da história do País.

Segundo o comunicado divulgado nesta sexta-feira, 2, ao mercado, as companhias entendem que não existem pendências e obstáculos legais ou processuais que possam impedir o encerramento da recuperação judicial.

Eike Batista tornou-se acionista minoritário da OGX e repassou suas outras empresas aos credores. Em janeiro deste ano, o empresário foi preso e ficou quatro meses em Bangu, quando foi deflagrada a operação Eficiência, um desdobramento da Calicute, braço da Lava Jato, que investiga crimes de lavagem de dinheiro.

O empresário é acusado de ter participado de esquema de propinas que também levou o ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, à prisão. O empresário tinha planos de voltar aos negócios, com o lançamento de uma pasta de dente, e tinha outros projetos engatilhados. Com seu nome envolvido na Lava Jato, agora tenta se desvincular das acusações.

Source

Related posts

Leave a Comment